CONTADOR DE VISITAS

contador de acessos

Funk Gospel- Novas 2016-2017

FUNK E NOVO SOM

funk gospel e infantil

MX GOSPEL

HINOS JUDAICOS E ROMANTICAS

FUNK GOSPEL- VARIOS

MUSICAS MESSIANICAS

MELODY E VARIAS

VIDEO DO POKEMON

ESTUDO-INFERNO

Jogos para voce

ORIENTE MÉDIO

TURMINHA DA GRAÇA E MIDINHO

OS TRAPALHOES E A PRINCESA XUXA

Os trapalhoes-vol. 2

PRIMEIRO EPISÓDIO DO CHAPOLIN

PRIMEIRO EPISÓDIO DO CHAVES

DE GRAÇA RECEBESTE, DE GRAÇA DAI!!!!.

DE GRAÇAS RECEBESTES,DE GRAÇA DAI-MT10.8

ESTUDO-Jo 3.16

ESTUDO SOBRE ADORAÇÃO

INFANTIL

HINOS JUDAICOS

FUNK GOSPEL E ROMANTICAS 03

JOGO DE PERGUNTAS BÍBLICAS

CLIQUE PARA RESPONDER AS PERGUNTAS Coloque este widget em seu blog

FUTEBOL COM CARROS

JOGO ATIRE NAS GARRAFAS

JOGO DA BALEIA

JOGO DA BALEIA

Jogo pac man

JOGO BASKET

JOGO blast

JOGO MAGNETO

JOGO DE CORRIDA

Corrida Bíblica–o game

JOGO DA VELHA 02

Mais Jogos no Jogalo.com JOGO DA VELHA 02

JOGO BÍBLICO DE PERGUNTAS

Noticias g1

LEITURA EM INGLÊS

LEITURA EM INGLÊS

LEITURA EM INGLÊS 02

LEITURA EM INGLÊS 02

NOVO SOM E DIVERSOS

funk gospel e musica judaica 02

ROMANTICASM JUDAICA E FUNK GOSPEL

RELÓGIO COM MENSAGEM

ROMANTICAS E FUNK GOSPEL

ROMANTICAS E FUNK GOSP. 02

ROMANTICAS GOSPEL

FUNK GOSPEL 25

FUNK GOSPEL 24

FUNK GOSPEL23

FUNK GOSPEL 22

FUNK GOSPEL 21

funk gospel 20

FUNK 19

/>

funk gospel 18

FUNK GOSPEL 16

FUNK GOSPEL 15

FUNK GOSPEL 14

GOSPEL FUNK 17

Prof. Marcio de Medeiros--ESTUDO SOBRE O INFERNO

NOTICIAS DE CONCURSOS

BEM ESTAR -GNT

FILME-A ÚILTIMA BATALHA

BATE PAPO CRISTÃO

Qual é a sua avaliação sobre este blog?

Formulario de autoresposta


Nome:

E-Mail:

Assunto:

Mensagem:


NOVO SOM-ROMANTICAS

FUTEBOL 03

Placares oferecidos por futebol.com

FUTEBOL 04

Tabela futebol Brasileirão Serie A oferecida por Futebol.com

HOMENAGEM AO PROF. MARCIO DE MEDEIROS,FEITA PELOS SEMINARISTAS DO SETEF

HOMENAGEM AO PROF. MARCIO DE MEDEIROS,FEITA PELOS SEMINARISTAS DO SETEF-SEMINARIO TEOLÓGICO FILADÉLFIA-J. BOM PASTOR-BELFORD ROXO-RJ

CAIXA DE CURTI FANPAGE

CUMPRIMENTO AO VISITANTE

link me

Prof Marcio de Medeiros

Por favor coloque este codigo em seu site ou blog e divulgue o nosso blog

NOTÍCIAS RIO

REDECOL NOTICIAS




NOTICIAS

G1 NOTICIAS

G1 NOTICIAS

MENTE MILIONARIA

MENTE MILIONARIA-COMO SER BEM SUCEDIDO FINANCEIRAMENTE
CLIQUE E ASSISTA!!!!

PROP. DA PAGINA NO FACE04

BUSCA DE EMPREGOS

BATIDAO GOSPEL 10

FUNKS DIVERSOS 11

BATIDÃO GOSPEL12

FUNK GOSPEL 13

Batidao 09

BATIDAO 08

BATIDÃO 07

BATIDÃO GOSPEL 06

BATIDÃO GOSPEL 3

BATIDÃO GOSPEL 4

BATIDÃO GOSPEL 07

BATIDÃO GOSPEL

BATIDÃO GOSPEL 2

BATIDAO GOSPEL 05

PROPAGANDA DA PAG. DO FACE

SITE DE ENTRETENIMENTO

UTILITARIOS EM GERAL

CALENDARIO E JESUS

CALENDÁRIO E PAISAGEM

musicas do c.c e da harpa

PROPAGANDA DA PAG. DO FACE 03

BANNER DO SITE DE ENTRETENIMENTO

SITE DE ENTRETENIMENTO

MENSAGEM PARA VOÇÊ 2

SITE DE ENTRETENIMENTO

SITE DE ASSUNTOS BÍBLICOS

SITE DE CULTURA

DESENHO DA CRIAÇÃO E DE NOÉ

DESENHO SOBRE A CRIAÇÃO
CLIQUE NO VÍDEO PARA ASSISTÍ-LO
DESENHO SOBRE A CRIAÇÃO
CLIQUE NO VÍDEO PARA ASSISTÍ-LO
DESENHO SOBRE A ARCA DE NOÉ-CLIQUE E ASSISTA.

DESENHO SOBRE JOSUÉ

DESENHO SOBRE JOSUÉ-CLIQUE PARA ASSISTIR.

DESENHO SOBRE MOISÉS

DESENHO SOBRE MOISÉS-CLIQUE E ASSISTA.

DESENHO-O NASCIMENTO DE JESUS

O NASCIMENTO DE JESUS-CLIQUE PARA ASSSITIR

FILME-INFERNO EM CHAMAS

FILME O INFERNO EM CHAMAS

PROPAGANDA DA PAG. DO FACE 02

DA LINK SA PAG.DO FACE DO BLOG

AULA DE BIBLIOL.SETEF-07/05/13

AULA DE BIBLIOLOGIA-DATA:07/05/13- MINISTRADA DO SEMINARIO SETEF

Pag do facebook 02

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

364-O LIVRO DE JONAS





ESTUDO DO LIVRO DO PROFETA JONAS

QUEM ERA JONAS
Embora o livro não identifique o autor, a tradição o atribui ao próprio Jonas. Ele era filho de Amitai, natural de Gate-Hefer, pequena aldeia de Zebulom na Galiléia, hoje chamada El-Meshad. Foi um dos primeiros profetas de Israel. Jonas é mencionado em 2Reis 14.25; por haver profetizado o crescimento do território de Israel, dizendo que seriam recuperados seus antigos limites, tendo essa profecia se cumprido durante o reinado de Jeroboão. O nome Jonas, significa “pombo”.
DATA
Se foi Jonas quem escreveu o Livro, conforme a tradição, este seria obviamente datado durante o reinado de Jeroboão II. No início do século VIII, cerce de 793 a 753 a.C.

A CIDADE DE NÍNIVE E O IMPÉRIO ASSÍRIO
Nínive, a famosa capital do antigo Império Assírio. É mencionada no tempo de Hamurabi, como sendo sede do culto ao deus Istar. Em 2Reis 19.36 e em Isaías 37.37, ela é pela primeira vez, claramente indicada como residência oficial do monarca da Assíria.

Estava localizada a 450 quilômetros de Babilônia, sobre a margem oriental do rio Tigre e do outro lado do rio da moderna Mossul. Era chamada a “cidade dos ladrões”, porque seus moradores invadiam e despojavam outras regiões para enriquecer-se. Nínive teve uma história cheia de colorido, ainda que trágica, especialmente depois do nono século a.C., até a época de sua destruição final diante do ataque de uma união de forças encabeçada pelos medos e babilônicos em 612 a.C.

TEMA DO LIVRO
O destaque deste livro é o grande amor de Deus pela humanidade. O livro conta a história da fuga deste profeta e como Deus o deteve e o fez retornar. O profeta foi comissionado para pregar contra a grande cidade de Nínive, mostrando aos moradores do lugar a consequência de seus pecados e corrupção e consequentemente o juízo de Deus sobre eles. Mas Jonas como todo o povo de Israel, odiava os ninivitas e desejava a vingança, não a misericórdia de Deus. Jonas tinha certeza que se após sua pregação o povo da cidade se arrependesse, Deus não só os perdoaria como derramaria bênçãos sobre eles. Por isso preferiu fugir de Deus a obedecer-lhe indo para Társis (1.3).

Jonas entendia que os assírios não mereciam o amor de Deus, mas Deus os poupou quando se arrependeram. Em sua imensa misericórdia Deus também não rejeitou Jonas por ter desobedecido às suas ordens e fugido da missão. Deus é cheio de amor, paciência e perdão.

CONTEXTO DA ÉPOCA
Situados na primeira metade do século VIII a.C., os fatos desse livro ocorreram em um período de grande otimismo no Reino do Norte. O Império Assírio, que demonstrou sua força no século IX, entrou em declínio, deixando Jeroboão II livre para reconquistar boa parte do território pertencente a Israel na época de Davi e Salomão. A expansão territorial trouxe mais prosperidade que em qualquer outra época anterior da história de Israel.

COMPOSIÇÃO DO LIVRO
A narrativa contida no livro de Jonas tem sido ridicularizada como um mito pelos incrédulos e é vista por alguns eruditos como lenda ou parábola. Os judeus o aceitaram como história, e Flávio Josefo confirma isso no livro “Antiguidades Judaicas”. Jesus Cristo assegurou a veracidade de Jonas ao citá-lo como exemplo para sua morte e ressurreição (Mt 12.39-41; Lc 11.29-30).

Há muitos debates sobre a natureza do livro. A incredulidade de alguns dos fatos descritos (a sobrevivência de Jonas no ventre do peixe, e o crescimento acelerado da planta) levaram muitos estudiosos a considerar o livro uma alegoria ou parábola. Assim, alegam que os fatos não aconteceram, mas que a história foi inventada para apresentar uma moral, sobre a compaixão de Deus. Outros intérpretes tendem a afirmar a natureza histórica, mas consideram a narração sensacionalista.

Afirmar a natureza do livro não exige a tentativa de identificar a espécie de peixe envolvido ou o tamanho do estômago deste, como muitos intérpretes conservadores se sentem obrigados a fazer. É bom sempre lembrar que a ação do peixe foi ordenada por Deus, o Senhor dos céus e da terra, Senhor dos mares e de todos os seres viventes.

CARACTERÍSTICAS LITERÁRIAS
Ao contrário da maioria dos outros escritos proféticos do Antigo Testamento, esse livro é uma narrativa de uma única missão profética. Como acontece muitas vezes nas narrativas bíblicas, o autor condensou muita coisa num espaço pequeno; 48 versículos contam a história inteira, inclusive a oração de ação de graças de Jonas. Na extensão, e no estilo compacto da delineação dos personagens, é muito semelhante ao livro de Rute.

A história é desenvolvida em dois ciclos paralelos que chamam atenção pela contraposição entre a fuga da missão e posteriormente o cumprimento da missão, com relutância. O ponto alto da história é a grande oração e confissão de Jonas: “A salvação vem do Senhor” (2.9).

O PROPÓSITO DA MENSAGEM
O propósito do livro de Jonas, geralmente é mal interpretado. Os eruditos tendem a buscar nele uma mensagem para Israel. Ao fazer isso, parece natural concluir que Jonas representa Israel.

Alguns acreditam que Jonas é um livro missionário. Por meio dele vemos Deus incentivando Israel a sair da exclusividade e evangelizar outras nações. Outros sugerem que o Livro ensina a Israel que Deus tem compaixão dos pagãos e sendo assim, Israel também deve ter a mesma atitude, amando e perdoando seus piores inimigos.

Embora todas estas sejam ideias nobres, consequentemente teologicamente boas, o livro aponta para outra direção. A mensagem do livro está relacionada ao direito divino soberano de ter compaixão de quem Ele desejar. Até a apresentação de Jonas no livro de Reis (1Rs 14.25) é uma preparação adequada para o debate sobre a compaixão divina, pois ali Deus demonstrou misericórdia imerecida para com o Reino do Norte ao fazer um rei perverso como Jeroboão II prosperar.

A ira divina deu inicio aos acontecimentos do livro de Jonas. A iniquidade de Nínive levou Deus a agir. Mas Jonas afirma que Deus é muito paciente (4.2), diferentemente do profeta. A ira do profeta parecia repreender Deus, que na sua opinião não estava irado o suficiente e por isso poderia perdoar Nínive se eles se arrependessem.

Fica claro que a mensagem do livro está relacionada ao direito divino e soberano de ter misericórdia de quem ele desejar. Deus honrou a palavra dele e adiou o juízo sobre a cidade de Nínive. Os ninivitas ainda continuavam sob a ameaça de destruição, mas ela deixou de ser iminente, graças apenas a misericórdia de Deus.

A VERACIDADE DO LIVRO DE JONAS
Jesus tornou o livro de Jonas como verdadeiro e digno de toda aceitação. Quando lhe pediram um sinal que provasse as suas afirmações, não deu outro sinal senão o do profeta Jonas (Mt 12.38-40).

E continuou citando Jonas: "
Os homens de Nínive se levantarão contra essa geração e a condenarão; pois eles se arrependeram com a pregação de Jonas, e agora aqui está o que é maior do que Jonas" (Mt 12.41).
T. T. Perowne comenta:
"Como entender esse tipo de referência se tomarmos o livro de Jonas como narrativa não-histórica? O futuro Juiz profere palavras de solene advertência àqueles que futuramente, seriam réus de seu tribunal. Ele antecipa a cena para aquelas pessoas de modo extremamente vívido, como se visualizasse de fato à sua frente naquele momento. Apesar disso a teoria não-histórica nos pede que imaginemos um juiz relatando a história de pessoas imaginárias que, durante a pregação imaginária de um profeta imaginário, arrependeram-se em sua imaginação. Então, naquele dia, esses mesmos seres imaginários se levantarão e condenarão pessoas de carne e osso por não terem se arrependido".

Existe é claro, um elemento não literal na passagem, assim como em todas as descrições do mundo futuro. A menção aos que se levantarão no dia do juízo refere-se a um acontecimento que muito provavelmente não tem em vista acusações verbais do caráter individual. A acusação se dará no próprio acontecimento da ressurreição. A ressurreição para a vida, no caso dos ninivitas que se arrependeram, serve de testemunho contra os ouvintes impenitentes do Senhor.
Há em Jonas acontecimentos que não são comuns, mas é bom sempre lembrar que Deus estava no comando de tudo.

- Um grande peixe engoliu Jonas, e o vomitou na praia, são e salvo, porque Deus assim ordenou ao peixe.

- A possibilidade de uma grande cidade pagã, como Nínive converter-se em poucos dias, acreditando na pregação de um estrangeiro faz com que os estudiosos tentem encontrar explicações para esse fato. Sugerem que a mensagem de Jonas talvez contivesse também a ameaça de grandes desastres como terremotos ou eclipses para explicar a ampla aceitação dos ninivitas.


Jonas é o livro-teste da Bíblia, é um desafio para nossa fé. Nossa atitude para com o livro de Jonas revela nossa atitude para com Deus e sua Palavra. Para nós a história de Jonas é natural ou sobrenatural? É muito importante nossa resposta. Se não cremos na história de Jonas, abrimos brechas para que a Bíblia seja colocada em dúvida.
O PROFETA FUJÃO
O livro começa com Deus dando essa ordem ao profeta: “Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive, e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até à minha presença” (1.2). Jonas resolveu descumprir a ordem de Deus, fugindo para Társis.

Porque Jonas Fugiu? Ele sabia que a Assíria era terrível e inimiga de Israel, mesmo assim Deus o mandou pregar na capital daquele país hostil, convocando o povo ao arrependimento, fugindo assim do juízo iminente. Jonas receia que Nínive se arrependa e Deus em sua imensa misericórdia poupe a cidade. Se viesse o juízo de Deus sobre os assírios eles seriam destruídos e assim Israel estaria livre desse terrível inimigo. Jonas tem o espírito de um herói nacional, assim decide desobedecer ao Senhor e não ir pregar em Nínive.

O PROFETA OBEDIENTE MAS CONTRARIADO
Deus concede ao profeta uma segunda chance. “Veio a Palavra do Senhor segunda vez a Jonas” (3.1). Deus falou-lhe novamente: “Levanta-te, e vai à grande cidade de Nínive, e prega contra ela a mensagem que eu te digo” (3.2).

Não era fácil para Jonas percorrer as ruas da cidade clamando: “Ainda quarenta dias, e Nínive será destruída” (3.4). Não havia tom de compaixão em sua voz, nem havia lágrimas, demonstrando preocupação com as almas que estavam prestes a ser destruídas. Estava simplesmente obedecendo à ordem de Deus, mas seu coração não mudara (4.1-3). O povo simples de Nínive se arrependeu, depois os nobres. Foi um milagre, toda a cidade foi poupada.

Após a pregação ser feita conforme o Senhor ordenara, o profeta mal-humorado sentou-se debaixo de uma aboboreira que o Senhor fez nascer para servir-lhe de sombra. Jonas ficou lá esperando para ver o que Deus iria fazer com a cidade (4.6).

CONCLUSÃO 
O livro termina de repente, mas precisamos observar nele duas coisas:
Primeiro: Jonas é um tipo de Cristo em sua morte, sepultamento e ressurreição, “Pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra” (Mt 12.40).
Segundo: Jonas é também um tipo de Israel, desobediente a Deus e tragado pelas nações do mundo.

ESBOÇO DE JONAS
I. A retirada ordenada 1.1-3 “Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive” 1.1-2
Jonas foge para Társis 1.3
II. O retorno providencial 1.4-2.10
O Senhor manda uma tempestade 1.4-9
Os marinheiros o jogam no mar 1.10-16
O Senhor prepara um grande peixe 1.17
Jonas ora 2.1-9
Ele é vomitado na terra 2.10
III. A renovação bem-sucedida 3.1-10
Uma segunda chance de levantar e ir é dada a Jonas 3.1-3
Jonas prega 3.4
A população se converte 3.5-9
Deus demonstra piedade 3.10
IV. Uma reação negativa 4.1-11
Jonas desgostou-se 4.1-5
Deus ensina uma lição 4.6-11


FONTES:
  • Estudo Panorâmico da Bíblia – Ed. Vida
  • Panorama Bíblico Avançado – Ed. Quadrangular
  • Panorama do Antigo Testamento – Ed. Vida
  • Bíblia de Estudo Thompson – Ed. Vida
  • Bíblia de Estudo NVI – Ed. Vida
  • Bíblia de Estudo de Genebra - Ed. Cultura Cristã
  • A Inerrância de Bíblia - Norman Geisler

O Livro de Jonas
Verso Chave: 4:2
Mensagem: “Deus, é Deus do gentio como o é do judeu". 
JONAS, natural da Galiléia, foi um dos primeiros profetas, II Reis 14:25.

Ao ser enviado como missionário a Nínive a fim de admoestar os inimigos de seu país, ele obedeceu com muita relutância.

Esta narrativa tem sido ridicularizada como mito pelos incrédulos e é vista por alguns eruditos como lenda ou parábola.

Os judeus a aceitaram como histórica.

Jesus Cristo assegurou a veracidade de Jonas, Mateus 12:39-41; Lucas 11:29-30.

CARÁTER DE JONAS.

(1) Consagrada em parte, uma estranha mistura de força e fraqueza.
(2) Obstinado, 1:1-3.
(3) Piedoso, 1:19.
(4) Valoroso, 1:12.
(5) Dedicado à oração, 2:1-9.
(6) Obediente após o castigo, 3:3-4.
(7) Fanático e egoísta, decepcionado com o arrependimento dos ninivitas, 3:4-10; 4:1.
(8) Demasiadamente preocupado com a sua própria reputação, 4:2-3.

SINOPSE

Cap. 1. O profeta desobedece à ordem divina; sua fuga e castigo.

Cap. 2. Sua oração e libertação.

Cap. 3. Obedece à segunda comissão.

Cap. 4. Sua queixa infantil; a grande revelação da misericórdia divina combinada com a repreensão ao profeta.

LIÇÕES ESPIRITUAIS

(1) O perigo de fugir ao dever.
(2) A tentação do patriotismo egoísta e do fanatismo religioso.
(3) Deus emprega homens imperfeitos como canais da verdade.
(4) A vasta misericórdia de Deus.

VALOR LITERÁRIO

Charles Reade, eminente autoridade literária, declarou que o livro de Jonas é a mais bela história jamais escrita em tão pouco espaço. É uma jóia perfeita e rica em ensinos.

HISTÓRIA

Este livro é um campo de batalha ao criticismo destruidor do modernismo. É considerado, por muitos, uma simples alegoria sem fundo histórico algum, porém, II Reis 14:25 prova que Jonas era um personagem histórico. Ainda, o caráter histórico deste homem é confirmado pelo Senhor Jesus em Mat. 12:39-41. Portanto, não hesitamos em afirmar que, temos aqui um fato e não ficção; é uma história e não fábula.

O PROFETA

Jonas era natural de Gate-Hefer perto de Nazaré, portanto era galileu, provando quanto mentiram os fariseus ao dizerem: “que da Galiléia nenhum profeta surgiu” (João 7:52). Naum e Malaquias também eram da Galiléia.

Jonas iniciou sua carreira profética quando Eliseu terminava a sua. Algumas autoridades antigas dos judeus eram de opinião de que Jonas era o filho da viúva de Zarefate que Elias ressuscitara.

Uma de suas profecias foi preservada em II Reis 14:25-27. Era, portanto, um profeta acreditado.

CHAVE

Capítulo 4:2 é a chave, dando-nos a compreensão do livro inteiro. Por quê Jonas desobedeceu ao Senhor?
(1) não por causa da covardia; há evidências abundantes de sua coragem neste livro.
(2) Nem tampouco por não simpatizar com “missões estrangeiras”.
(3) Nem ainda por considerar sua própria honra de profeta.
(4) O motivo que o levou a desobedecer a Deus foi um falso patriotismo. Assíria era o grande inimigo de Israel e Jonas pensou em deixá-la perecer nos seus pecados para que Israel ficasse livre de seu velho inimigo. Ir lá, pregar a eles, poderia conduzi-los à salvação e preservação, e isso, ele desejava evitar.

ANÁLISE

a) A Comissão (do Profeta): 1: 1-2

Devia ter sido um profeta experimentado ao ser chamado.
Este livro começa abruptamente – “Levanta-te”, parecendo ser uma continuação e não um início do seu ministério.
Nínive era, na verdade, “grande cidade”. Era de 95 quilômetros de circunferência, cobrindo 560 quilômetros quadrados, com uma população de 600.000 pessoas.

b) A desobediência (do Profeta): 1:3-17

O profeta desobedeceu deliberadamente o Senhor.
“pagou, pois, a sua passagem”. Sempre temos de “pagar” quando O desobedecemos.
Notemos 4 coisas “preparadas” neste livro: 1:17 – 4:6, 7, 8.
Quão parecido com o sono do pecado é: 1:6
Salvação pela substituição é ensinada em 1:15

c) A oração (do Profeta): 2

Eis aqui uma oração feita em grande aflição, e num lugar esquisito.
Notar:
- Sua condição – deslocado
- Sua descrição gráfica.

d) Recomissionado (o Profeta): 3: 1-3

Oh! Que alegria em não ser lançado fora por desobediência e infidelidade!
Teria de levar a mensagem do Senhor: “a pregação que eu te disse”
O profeta obedeceu prontamente.

e) O sucesso (do Profeta): 3:4-10

Jonas alcançou sucesso porque foi uma testemunha viva das verdades que proclamava. Contemplando-o , obtinham um raio de esperança.
Notar: “os homens de Nínive creram em Deus” e se arrependeram.

f) Reprovado (o Profeta): 4

Jonas alimentava uma vaga esperança de que a Assíria seria destruída.
Deus deu-lhe uma lição objetiva.
Notar: a terminação brusca, que impressiona pelas expressões tenras de Deus.

LIÇÕES

Mostra quão inúteis são os esforços humanos para impedir os Divinos propósitos da Graça.
A lição principal é a declaração em Rom. 3:29, e designava-se a ensinar o povo de Deus que Ele era Deus do gentio como o era do judeu e que tinha propósitos de graça e amor, tanto para os gentios como para judeus. No entanto, Israel nunca aprendeu esta lição, mesmo apesar do ensino eloqüente deste livro.

TIPO

Em Mat. 12:38-42, Jesus declara que Jonas era tipo de sua morte e ressurreição e o povo de Nínive um exemplo do arrependimento sincero.

Jonas é tipo, não só do Senhor como de Israel. O Dr. Bullinger, sugestivamente, o tem apontado, dizendo: “Jonas é o embaixador de Deus enviado a pregar o arrependimento aos gentios. Assim foi Israel. Opondo-se à bênção aos gentios Jonas foge da desagradável tarefa. Alcançado por uma tempestade, divinamente enviada, é lançado ao mar. Assim é com Israel, que foi lançado ao mar das nações; mas, como Jonas, não está perdido, visto que, mais tarde, será atirado à terra, e será, então o embaixador de Jeová e o transmissor da bênção aos gentios”. 

Fonte:
www.santovivo.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OLA!.EU SOU MARCIO DE MEDEIROS-PROF.DO SETEF,SEJA BEM VINDO AO NOSSO BLOG.JESUS TE AMA E MORREU POR VOÇÊ!!!.
TEMOS,1 SITE DESTINADO A CULTURA GERAL , OUTRO SITE DESTINADO À ASSUNTO BÍBLICOS E UM OUTRO SITE DESTINADO À ENTRETENIMENTO,TEMOS:JOGOS,FILMES,DESENHOS ETC.USE OS LINKS ABAIXO PARA VISITAREM OS SITES.TEMOS 3 SITES E 1 BLOG.BOM PROVEITO!.

https://sites.google.com/
http://www.prof-marcio-de-medeiros.webnode.com/
http://profmarcio.ucoz.com