CONTADOR DE VISITAS

contador de acessos

Funk Gospel- Novas 2016-2017

FUNK E NOVO SOM

funk gospel e infantil

MX GOSPEL

HINOS JUDAICOS E ROMANTICAS

FUNK GOSPEL- VARIOS

MUSICAS MESSIANICAS

MELODY E VARIAS

VIDEO DO POKEMON

ESTUDO-INFERNO

Jogos para voce

ORIENTE MÉDIO

TURMINHA DA GRAÇA E MIDINHO

OS TRAPALHOES E A PRINCESA XUXA

Os trapalhoes-vol. 2

PRIMEIRO EPISÓDIO DO CHAPOLIN

PRIMEIRO EPISÓDIO DO CHAVES

DE GRAÇA RECEBESTE, DE GRAÇA DAI!!!!.

DE GRAÇAS RECEBESTES,DE GRAÇA DAI-MT10.8

ESTUDO-Jo 3.16

ESTUDO SOBRE ADORAÇÃO

INFANTIL

HINOS JUDAICOS

FUNK GOSPEL E ROMANTICAS 03

JOGO DE PERGUNTAS BÍBLICAS

CLIQUE PARA RESPONDER AS PERGUNTAS Coloque este widget em seu blog

FUTEBOL COM CARROS

JOGO ATIRE NAS GARRAFAS

JOGO DA BALEIA

JOGO DA BALEIA

Jogo pac man

JOGO BASKET

JOGO blast

JOGO MAGNETO

JOGO DE CORRIDA

Corrida Bíblica–o game

JOGO DA VELHA 02

Mais Jogos no Jogalo.com JOGO DA VELHA 02

JOGO BÍBLICO DE PERGUNTAS

Noticias g1

LEITURA EM INGLÊS

LEITURA EM INGLÊS

LEITURA EM INGLÊS 02

LEITURA EM INGLÊS 02

NOVO SOM E DIVERSOS

funk gospel e musica judaica 02

ROMANTICASM JUDAICA E FUNK GOSPEL

RELÓGIO COM MENSAGEM

ROMANTICAS E FUNK GOSPEL

ROMANTICAS E FUNK GOSP. 02

ROMANTICAS GOSPEL

FUNK GOSPEL 25

FUNK GOSPEL 24

FUNK GOSPEL23

FUNK GOSPEL 22

FUNK GOSPEL 21

funk gospel 20

FUNK 19

/>

funk gospel 18

FUNK GOSPEL 16

FUNK GOSPEL 15

FUNK GOSPEL 14

GOSPEL FUNK 17

Prof. Marcio de Medeiros--ESTUDO SOBRE O INFERNO

NOTICIAS DE CONCURSOS

BEM ESTAR -GNT

FILME-A ÚILTIMA BATALHA

BATE PAPO CRISTÃO

Qual é a sua avaliação sobre este blog?

Formulario de autoresposta


Nome:

E-Mail:

Assunto:

Mensagem:


NOVO SOM-ROMANTICAS

FUTEBOL 03

Placares oferecidos por futebol.com

FUTEBOL 04

Tabela futebol Brasileirão Serie A oferecida por Futebol.com

HOMENAGEM AO PROF. MARCIO DE MEDEIROS,FEITA PELOS SEMINARISTAS DO SETEF

HOMENAGEM AO PROF. MARCIO DE MEDEIROS,FEITA PELOS SEMINARISTAS DO SETEF-SEMINARIO TEOLÓGICO FILADÉLFIA-J. BOM PASTOR-BELFORD ROXO-RJ

CAIXA DE CURTI FANPAGE

CUMPRIMENTO AO VISITANTE

link me

Prof Marcio de Medeiros

Por favor coloque este codigo em seu site ou blog e divulgue o nosso blog

NOTÍCIAS RIO

REDECOL NOTICIAS




NOTICIAS

G1 NOTICIAS

G1 NOTICIAS

MENTE MILIONARIA

MENTE MILIONARIA-COMO SER BEM SUCEDIDO FINANCEIRAMENTE
CLIQUE E ASSISTA!!!!

PROP. DA PAGINA NO FACE04

BUSCA DE EMPREGOS

BATIDAO GOSPEL 10

FUNKS DIVERSOS 11

BATIDÃO GOSPEL12

FUNK GOSPEL 13

Batidao 09

BATIDAO 08

BATIDÃO 07

BATIDÃO GOSPEL 06

BATIDÃO GOSPEL 3

BATIDÃO GOSPEL 4

BATIDÃO GOSPEL 07

BATIDÃO GOSPEL

BATIDÃO GOSPEL 2

BATIDAO GOSPEL 05

PROPAGANDA DA PAG. DO FACE

SITE DE ENTRETENIMENTO

UTILITARIOS EM GERAL

CALENDARIO E JESUS

CALENDÁRIO E PAISAGEM

musicas do c.c e da harpa

PROPAGANDA DA PAG. DO FACE 03

BANNER DO SITE DE ENTRETENIMENTO

SITE DE ENTRETENIMENTO

MENSAGEM PARA VOÇÊ 2

SITE DE ENTRETENIMENTO

SITE DE ASSUNTOS BÍBLICOS

SITE DE CULTURA

DESENHO DA CRIAÇÃO E DE NOÉ

DESENHO SOBRE A CRIAÇÃO
CLIQUE NO VÍDEO PARA ASSISTÍ-LO
DESENHO SOBRE A CRIAÇÃO
CLIQUE NO VÍDEO PARA ASSISTÍ-LO
DESENHO SOBRE A ARCA DE NOÉ-CLIQUE E ASSISTA.

DESENHO SOBRE JOSUÉ

DESENHO SOBRE JOSUÉ-CLIQUE PARA ASSISTIR.

DESENHO SOBRE MOISÉS

DESENHO SOBRE MOISÉS-CLIQUE E ASSISTA.

DESENHO-O NASCIMENTO DE JESUS

O NASCIMENTO DE JESUS-CLIQUE PARA ASSSITIR

FILME-INFERNO EM CHAMAS

FILME O INFERNO EM CHAMAS

PROPAGANDA DA PAG. DO FACE 02

DA LINK SA PAG.DO FACE DO BLOG

AULA DE BIBLIOL.SETEF-07/05/13

AULA DE BIBLIOLOGIA-DATA:07/05/13- MINISTRADA DO SEMINARIO SETEF

Pag do facebook 02

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

703-dEUSES ESTRANHOS EM NOSSAS VIDAS?( PT 02).






Normalmente pensamos que a mitologia greco-romana está passada, definitivamente enterrada sob as colunas derrubadas dos templos, a poeira dos séculos e a névoa do esquecimento. Mas isso não é verdade. Nada do que é lembrado morre de verdade, e nas nossas palavras de uso comum encontramos citações de nomes de divindades que eram evocadas há milhares de anos. Olhem só:
MOEDA (e derivados: monetário, monetarismo, moedeiro, etc.) – numa das invasões dos bárbaros à Itália, quando o Império se estava esfacelando, um grupo deles tentou escalar a parte da muralha de Roma junto à qual, pelo lado de dentro, se situava um templo dedicado a Juno, a deusa que era esposa de Júpiter. Os gansos consagrados à deusa, que estavam no terraço do templo, deram o alarme e os soldados romanos acorreram e afugentaram o inimigo. Gansos são ótimos vigias, pois fazem um grande estardalhaço na presença de estranhos.
Agradecidos, os romanos declararam que aquele templo era dedicado a Juno Moneta, “a Juno que avisa”.
Esta palavra vem do Latim monere, “advertir, admoestar, avisar”, e gerou, em Português,premonição (um aviso antes do acontecimento), admoestar (advertir), monitor(aparelho que serve para acompanhar o que acontece; pessoa que acompanha ou auxilia o ensino; nome de um tipo de navio, a partir do nome próprio do primeiro do tipo; um tipo de lagarto cuja presença, dizia-se, avisava da proximidade de crocodilos).
Mais tarde, nesse templo, se estabeleceu um local onde se cunhavam discos metálicos, com valor definido, próprios para fazer negócios de compra. Estes receberam um nome derivado da deusa do templo – ou seja, moneta ou moeda. Em Inglês, mint – derivado daí – é um local onde se fabrica moeda. Também é uma palavra usada para designar algo em estado de novo, como se fosse uma moeda recém-feita.
VOTO DE MINERVA – é uma expressão que se refere ao voto de desempate numa situação indefinida.
Minerva (Atená para os gregos), na mitologia romana, era a deusa relacionada à sabedoria e à prudência. Era filha de Júpiter, que a engolira antes de ela nascer, para evitar que se cumprisse uma previsão nefasta.
A vida era dura naquela época, mesmo para os deuses.
Nove meses depois de fazer isso, Júpiter começou a ter uma dor de cabeça terrível. Quando o próprio Pai dos Deuses tem dor de cabeça, imaginem a intensidade dela…
Para obter alívio, pediu a Vulcano, o deus que lidava com forjas e que preparava os raios para a prática de tiro-ao-alvo, que lhe desse uma martelada na cabeça. Vulcano obedeceu prontamente, ainda mais que não havia esquecido que Júpiter o havia atirado pelos céus abaixo quando era pequeno (levou dias e dias caindo e ficou manco para sempre). Assestou vigorosa marretada na divina cabeça.
Para espanto de todos os deuses, saiu dali Minerva, já vestida para o combate, armada de lança e escudo e dançando uma dança guerreira. Não admira que aquela dor fosse tão forte!
Imediatamente ela passou a ajudar o pai na luta que ele vinha sustentando contra os Gigantes, mas isso é uma outra história.
Os antigos, ao fazerem um mito tão cru, provavelmente estivessem pensando em colocar na deusa as características associadas à cabeça, como a inteligência, a disciplina, a prudência, a sabedoria.
E, se ela é uma deusa especialmente prudente e inteligente, é de esperar que o seu voto, quando solicitado, seja cheio de bom senso e possa resolver situações de empate entre vários julgadores.
PALÁDIO – não é uma palavra de uso vulgar agora; designa um elemento químico do grupo da platina, usado em ligas e contatos elétricos.
Já que acabamos de falar em Minerva, nos ocorre o nome de sua grande amiga de juventude,Pallas, que foi morta por engano pela própria deusa num trágico acidente. Desse dia em diante, esta adotou o nome da amiga inseparável e passou a ser chamada de Pallas Atená em Grego.
Dizia-se que uma estátua de madeira de Pallas, chamada de palladium, protegeria contra as invasões inimigas as cidades onde se encontrasse.
Várias cidades tinham o seu palladium. Inclusive Tróia, que tinha um tão poderoso que evitou por dez anos a vitória dos gregos. Como muitas cidades dessa época, com palladiumou não, acabaram sofrendo nas mãos dos inimigos, deduz-se que este não poderia ser considerado uma defesa infalível.
OPORTUNO – os romanos tinham um deus chamado Portunus. O seu nome vinha de portus, “passagem”, relacionado com “porta”, o ponto de passagem para um aposento. Portus, “porto”, ficou como a passagem da via aquática para uma cidade.
De ob-, “para, em direção a”, e Portunus se fez opportunus, “o que empurra para o porto”, ou seja, “vento favorável”.
Metaforicamente, todos nós queremos ou precisamos de ventos favoráveis. De tal modo, qualquer acontecimento oportuno é bem-vindo.
SANCIONAR – entre os romanos se adorava um deus muito antigo, Sancus. Era ele quem tornava invioláveis os juramentos e promessas e que presidia ao seu cumprimento. Do seu nome se fez o verbo sancire, “consagrar”. O particípio passado desse verbo era sanctus, “consagrado, santo, que deve ser respeitado acima de tudo”; obviamente, santo derivou daí. Uma forma alterada, São, é usada antes de nomes iniciados por consoante.
Quando era feito um juramento com a invocação de Sancus, o atendimento a ele era considerado sanctus, “sagrado”
Uma lei sancionada é uma lei que entrou em ação e deverá, portanto, produzir os efeitos nela descritos.
HERMÉTICO – Hermes era um deus grego com história e atividades complexas. Entre os romanos, era conhecido como Mercúrio. Ele protegia os comerciantes, os ladrões e os médicos.
O caduceu, um bastão com duas serpentes enroladas, é um atributo de Hermes que até hoje simboliza a Medicina.
O capacete alado, outro de seus atributos, é usado como símbolo do Comércio. Os caixeiros-viajantes usam as sandálias aladas, mais uma peça da roupa divina.
Qual seja o símbolo dos ladrões, não sabemos. Talvez a classe seja desunida ou esteja ocupada demais para se preocupar com o assunto.
O deus egípcio Thoth era considerado o inventor da alquimia e recebeu, de uma corrente filosófica grega, o nome Hermes Trismegistus, “Hermes, o Três Vezes Grande”.
Quando se queria tornar inviolável um frasco com alguma substância, colocava-se no seu gargalo um selo, muitas vezes de cera, com o símbolo de Hermes. Onde havia a tecnologia do vidro disponível, uma ampola desse material tinha o seu gargalo aquecido e comprimido, donde só podia ser aberta por rompimento.
De qualquer modo, o frasco a partir daí estava hermeticamente fechado. Fosse pela proteção do deus, fosse porque ficaria clara a violação, dava certo!
AFRODISÍACO – Em Grego, a deusa do amor era chamada Afrodite. Na verdade, ela era algo bem mais complicado que isso, com origem oriental, mas aqui teremos que simplificar um pouco.
Em etimologia popular, o nome da deusa costuma ser associado a afró, “espuma”, por ela ter nascido nas espumas do mar. No entanto, isso é um engano. A verdadeira etimologia do seu nome, como uma deusa oriental da fertilidade, é desconhecida. Como ela tinha o hipocorístico (apelido por encurtamento do nome) Afró, fez-se a confusão.
O nome dela passou a ser usado em relação aos assuntos amorosos. Hoje em dia a palavra “afrodisíaco” é usada apenas com o significado de algum processo que ajude a manter relações sexuais. Ganha-se muito dinheiro mundo afora vendendo substâncias e poções com esse qualificativo. Se funcionam, é outro assunto.
Do nome latino dela, Venus, temos mais um derivado relativo a alguns resultados indesejáveis de encontros físicos. É o adjetivo v
enéreo
, que designa as doenças sexualmente transmitidas.
Uma outra palavra que veio de Venus é vieira, de veneria. Essa palavra, que constitui também um sobrenome em Portugal, designa um determinado molusco comestível. A lenda conta que Vênus nasceu do mar sobre uma concha, que recebeu seu nome a partir da deusa.
Ainda há mais: o verbo venerar e seus derivados vêm daí, sob a conotação de “amar”. Não soa irônico chamarmos de venerável uma pessoa que merece todo o respeito e consideração pelos seus atos ou posição, sabendo que essa palavra veio de uma sensual deusa pagã?
MARCIAL – as artes ditas marciais estão em grande voga no momento; quase todos os filmes de ação atuais necessitam de um instrutor do assunto,
Além disso, como todos sabem, este é um adjetivo que se refere a atividades militares em geral: “porte marcial”, ‘banda marcial”, ‘atitude marcial”.
Essa palavra se originou também num deus grego: Mars, “Marte”, que geria a guerra com todas as suas conseqüências desagradáveis.
Um deus, aliás, muito ocupado ultimamente. Ele deve andar por aí se divertindo, em sua biga puxada por dois cavalos furiosos, Medo e Terror (em Grego, Fobos e Deimos). Esse é o nome das duas luas do planeta Marte. Esse planeta da cor do sangue era associado ao deus muito antes de se desconfiar que ele tinha dois satélites.
JOVIAL – um dos nomes de Júpiter, o pai dos deuses, era Jove. Antes de mais nada, vamos esclarecer uma coisa: ele não era realmente pai da maioria dos deuses. Era assim chamado pela sua posição de chefia, não pela relação familiar. Eram épocas em que pais eram respeitados…
Segundo a antiga Astrologia, nascer sob a predominância do planeta Júpiter era um excelente sinal, pois ele era considerado o mais feliz dos planetas. Ora, quem entra na vida com tamanho favorecimento só pode andar muito contente por aí. Logo, as pessoas que estão contentes e sociáveis, de alto astral – como hoje se diria – são pessoas joviais.
PÂNICO – em eras antigas, a vida era uma farra nas planícies e montanhas da Grécia. Em tardes de sol se podia ouvir ao longe os gritinhos da ninfas fingindo que queriam fugir dos faunos, sátiros e o restante do pessoal desejoso de festa.
Havia um deus, Pã, que presidia aos pastores e seus rebanhos. Ele tinha o corpo peludo, chifres e patas de bode e mesmo assim era alegre, até mesmo turbulento. Pelo visto, ele tinha a felicidade de se aceitar como era.
A sua energia sexual era interminável; era uma divindade que perturbava as pessoas quando aparecia, inquietando os espíritos e gerando muito medo pelo contato com esse aspecto básico da vida. Daí usarmos até hoje a palavra pânico quando nos deparamos com uma situação extremamente assustadora, perigosa ou ameaçadora.
EROTISMO – esta todo o mundo sabe: entre os gregos, o amor sexual era personificado num deus menino, alado e travesso, cujas flechas condenavam as pessoas atingidas a serem consumidas pela paixão.
Analiticamente, a noção de ele ser uma criança é profunda, pois se espera que, atingida a idade da razão, não ocorram mais situações deste tipo. Espera-se…
O nome desse deus, cuja paternidade é atribuída a mais de um casal, era Eros. Outros tipos de amor tinham denominações diferentes, como philia, “amizade” e agape, “amor fraterno”.
HIPNÓTICO – este adjetivo, que faz a gente pensar num sujeito vestido de fraque e cartola, com um bigodinho fino, cara de vilão antigo e olhos esbugalhados, significa “aquele que faz adormecer”. Pode ser um discurso muito maçante, pode ser uma medicação para ajudar os insones ou um coadjuvante do processo anestésico – se ajudar a dormir, é hipnótico.
Esse nome vem de um deus grego, Hypnos, o Sono. Ele era irmão gêmeo de Tânatos, a Morte. Ambos eram filhos de Nyx, a Noite.
É uma forma bonita, poética e assustadora de relacionar fatos que apresentam características em comum. Hypnos tinha asas e percorria a Terra, em geral sob o manto da mãe, entrando em todos os lugares sem ser convidado e fazendo adormecer pessoas, animais e até mesmo os deuses.
PLUTOCRACIA – esta palavra não é muito comum fora dos meios econômicos ou revolucionários hoje em dia. Significa “o governo pelo dinheiro”, referindo-se a algum país onde os que verdadeiramente mandam, mesmo através de aparências democráticas, são os ricos. Todos já ouvimos falar nisso, será que existe mesmo?
O rei do Hades, o reino subterrâneo da mitologia grega, era Plutão. O seu nome se liga a um termo que significa “muito, numeroso, cheio”. Ele era rico, pois o seu reino continha os minérios dos quais se retirava material precioso, bem como as raízes dos vegetais que alimentavam a humanidade e seu gado. Além disso, à medida que o seu reino foi se enchendo de almas, ele passou a ser “rico em hóspedes”. Desta forma, Plutão passou a ser associado à riqueza e veio a fazer parte de palavras de uso erudito.
O cão do Mickey, Pluto, deve o seu nome a este deus. É a forma usada em Inglês.
HERCÚLEO – este adjetivo vem do Latim Hercules, que veio do Grego Heraklês. Um esforçohercúleo significa a aplicação de uma força descomunal. Todos sabem que Hércules era um herói grego, filho de Zeus, muito forte, que andou realizando muitos feitos famosos, entre os quais os Doze Trabalhos.
O que é pouco sabido, no entanto, é que Heraklês não era o nome verdadeiro dele, e sim um apelido. Ao nascer, ele foi chamado de Alcides, pois um antepassado dele se chamava Alceu.Só recebeu o outro nome mais tarde, depois de completar os Doze Trabalhos, que lhe foram impostos como castigo.pela deusa Hera; Heraklês significa “aquele que trouxe glória a Hera”.
CEREAL – vem de Ceres, o nome latino da deusa grega Deméter. Isto a grosso modo, pois na verdade elas não eram exatamente a mesma na Grécia e em Roma.
Ceres foi quem ensinou aos mortais como plantar e colher, dando-lhes, assim, os meios básicos de sobrevivência. A partir disso, os grãos de modo geral foram chamados de cereal.
CICLÓPICO – quando se vê alguma coisa colossal, grande, enorme, etc., algumas pessoas mais cultas poderão aplicar a elas esse adjetivo. Ele deriva não propriamente de um deus, mas de seres da mitologia grega, os Cíclopes. Em Grego, a palavra é formada de kyklos, “redondo” e ôps, “olho”. Eles eram gigantes que tinham um só olho redondo no meio da testa.
Dá para imaginar que, não tendo visão binocular, eles não poderiam avaliar direito as distâncias. Provavelmente eram muito desajeitados, deviam viver tropeçando e derrubando coisas.
Na antigüidade, restos de muralhas feitas de pedras muito grandes eram atribuídas a eles, de onde o uso da palavra ciclópico.
CRONOLOGIA – (“definição de datas históricas”) e seus parentes, como cronômetro, cronógrafo, e muitas outras, são relacionadas ao tempo e sua marcação. A maioria das pessoas dirá:
– “Hah, essa eu sei! Cronos era o deus do Tempo para os gregos, daí o uso do seu nome para assuntos correlatos! Quando é que este Site vai dizer alguma novidade?”
Pois aqui está a novidade: os gregos nunca tiveram um deus do tempo, e a associação acima não passa de etimologia popular. Existia, sim, o deus Kronos, filho do Céu e da Terra, portanto pertencente à primeira geração de deuses.
Simplificando muito: ele matou o seu pai, que temia ser destronado por um dos filhos. Depois casou com Réia e se tornou pior ainda do que o pai, tratando também de destruir os filhos (pudera, com um modelo desses!). Um deles, Zeus, conseguiu dominá-lo
e passou a comandar o Olimpo.
Depois pai e filho se acertaram e Kronos acabou reinando sobre a Ilha dos Bem-Aventurados, onde se mostrou bom e justo. Às vezes as brigas dentro de uma família dão certo, se as partes se mostrarem maduras.
A única ligação de Kronos com o tempo é que, por ter reinado em passado muito, muito distante, dizer “no tempo de Kronos” significava um tempo enorme atrás.
Mas então por que a confusão? Porque em Grego, Chronos era a palavra usada para “tempo”, e nada tinha a ver com o nome do deus. A palavra começava com a letra chi, que tem um som semelhante ao CH alemão, ao passo que o nome do deus começava com a letra kappa. O som da letra chi não existe na maioria dos idiomas derivados do Latim, e não há como representá-lo adequadamente nessas línguas. Havendo diferença apenas na letra inicial, instalou-se toda uma história inverídica a respeito desta etimologia.
O Lado Pagão das 
Festas Cristãs
.
Os povos antigos faziam rituais mágico religiosos para controlar certos fatores que poderiam representar reveses em suas vidas. O tempo passou, os desvios foram se sucedendo e hoje em dia esses rituais aparecem, bem deturpados, em várias festividades cristas.
Por Elsie Dubugras
Festejamos a Páscoa com  ovos de chocolate deixados pelo coelhinho; pulamos no Carnaval; colocamos cinzas na testa na quarta feira de Cinzas; e nos penitenciamos durante quarenta dias da Quaresma. Mas será que sabemos por que fazemos tudo isso e qual a verdadeira origem desses costumes e rituais? Uma pesquisa em profundidade foi feita para descobrir a sua procedência, e trouxe respostas das mais interessantes a curiosas.
 
Carnaval
Diz a Encyclopaedia Britannica que a palavra "carnaval" poderia ter se originado do latim medieval carnem levare ("leve se embora a carne") ou carnem levarium ("remova a carne"). A dedução parece lógica, pois o Carnaval é um festejo que antecede a Quaresma, quando a Igreja católica recomenda a abstinência de
carne.
Outras fontes consultadas declaram que o Carnaval está intimamente ligado a uma festividade pagã da antiga Roma: a Saturnália, durante a qual os foliões dançavam a pulavam para o alto.
 
Esta festa, todavia, não se destinava a divertir o povo como o Carnaval de hoje em dia, pois era um ritual mágico/homeopático para incentivar as plantas a crescer. Em alguns desses festejos, os foliões usavam máscaras e desferiam golpes para o ar. Por vezes os golpes eram dirigidos aos que estavam por perto, mas todos tinham uma só finalidade: assustar e afugentar os demônios que prejudicavam as colheitas e o povo.
Em seu livro O Ramo de Ouro, Sir James G. Frazer observou que ainda hoje os camponeses de certas regiões da Europa   geralmente em épocas predeterminadas, como na terça feira que antecede o Carnaval  dão pulos para o alto, a fim de incentivar suas plantas a crescer.
Na quarta feira de Cinzas, o primeiro dia após o Carnaval e o início da Quaresma, os padres da Igreja católica romana costumam fazer uma cruz na testa dos fiéis com as cinzas conseguidas das palmas bentas do domingo de Ramos da Quaresma anterior. 
 
Diz Frazer que esse costume se origina no Antigo Egito, quando ainda se praticavam sacrifícios humanos. A vítima era sempre um homem de cabelo vermelho, pois essa cor representava o cereal maduro. Depois de morto e queimado, suas cinzas eram espalhadas pelos campos para que as colheitas fossem abundantes. Todavia, quando se tornava necessário expulsar os demônios que infestavam o lugar, os egípcios também usavam ramos de plantas frescas ou as queimavam e aproveitavam as cinzas.
Deve se observar que a cerimônia das Cinzas só começou a ser usada pela Igreja nos primeiros séculos da era cristã. O ritual era a forma empregada pela Igreja para admitir os penitentes à comunidade; na ocasião, eles se vestiam com roupas de saco.
Depois do século 10 d.C., toda a congregação cristã, as pessoas de fora que quisessem participar e até os padres podiam tomar parte no ritual e na aspersão de cinzas.
Quaresma
A quaresma propriamente dita equivale ao tempo em que as pessoas com doenças contagiosas ficavam em isolamento. Durante esse período, fazia se a limpeza e a purificação do lugar onde o doente morava a queimava se a sua roupa. De início, o isolamento era de trinta dias a chamava se trintena, mas ele foi depois aumentado para quarenta dias a passou a chamar se quarentena, palavra que ainda hoje é usada.
Todavia, segundo a Igreja católica, o tempo de Quaresma define o período que Moisés esteve no monte aguardando as tábuas da lei e os dias que Jesus passou no deserto, orando e jejuando. Por este motivo, exortam se os fiéis a obedecer a certos rituais, fazer penitências, dar esmolas, orar e jejuar, tudo em preparação para a Páscoa, o dia em que se celebra a ressurreição de Cristo.
 
Por jejum deve se entender a abstenção parcial ou total de alimentos em certos dias. A prática não se originou com os cristãos; é antiqüíssima, e os povos primitivos jejuavam antes de processar as colheitas e durante certos períodos na primavera e no outono. Também se abstinham de comer antes das caçadas, das cerimônias de iniciação e de alguns ritos mágicos e/ou religiosos, cujas origens se perdem no tempo. Além disso, jejuava se, quando ocorria uma morte ou, então para apaziguar alguma divindade irada.
Outro s grupos s religiosos também praticam o jejum: os judeus na celebração do Yom Kippur, o Dia da Reconciliação, e os muçulmanos durante o mês de Ramadã.
O que impele as pessoas ou as comunidades religiosas a diminuir a ingestão de alimentos? Dizem os conhecedores do assunto que existem três grandes categorias de jejuadores. A primeira engloba os que fazem isso para conseguir poderes mágicos ou aumentar os que já possuem e, assim, dominar as forças da natureza a outras. Nessa classe estariam os xamãs, os pajés, etc. Na segunda categoria encontram se os que praticam a abstinência com o intuito de fortalecer sua própria fibra moral e, também, a da comunidade a que pertencem. Um exemplo moderno é o hindu Mahatma Gandhi. Em terceiro lugar estão as comunidades religiosas que tentam controlar seu(s) apetite(s) oferecendo penitência a Deus, categoria em que estariam enquadrados os cartusianos, as carmelitas, etc.
Páscoa
A Páscoa é uma festa móvel, isto é, não cai no mesmo dia todos os anos. Para descobrir a data em que será celebrada, é preciso localizar o primeiro domingo depois da primeira Lua cheia da primavera de Roma (hemisfério norte), usando os critérios gregorianos. No Brasil (hemisfério sul), o cálculo corresponde à primeira Lua cheia de outono. Aqui, o outono inicia se no dia 21 de março; portanto, tendo a Lua cheia deste ano ocorrido no dia 22 de março, a Páscoa de 1989 foi celebrada no dia 26 de março.
A Páscoa é o dia em que celebra se a ressurreição de Cristo. Todavia, até o século IV, ele era consagrado à comemoração da ressurreição do deus do Sol, Mitra, cujo aniversário de nascimento, em 25 de dezembro, coincide com o de Jesus. 
 
Qual a razão de festejar se a Páscoa com ovos? Porque os ovos simbolizam a vida nova e, portanto, a ressurreição. Antigamente, em especial no norte da Europa, o povo não costumava comer ovos durante a Quaresma, mas no sábado de Aleluia (o dia que antecede a Páscoa) as pessoas cozinhavam os ovos que tinham recolhido a os pintavam com cores alegres. No dia da Páscoa, eles eram dados aos amigos a parentes ou escondidos nos jardins e quintais para que as crianças os procurassem. Dizia se que o coelhinho deixara os ovos lá... 
Nos Estados Unidos há um costume interessante: para ter sorte, as pessoas rolam ovos coloridos e pintados nos gramados da Casa Branca, a residência do presidente americano.
Mas como é que o coelhinho entrou nessa história toda? Porque esse simpático animal assemelha-se à lebre que, no Antigo Egito, simbolizava a fertilidade e a periodicidade humana e lunar. Aos poucos, a imagem da lebre chegou à Europa, transformou se em coelho a foi adotada pelo povo.
São João, o dia dos namorados
Vamos ver agora o que há sobre o dia dos namorados tradicional: o dia de São João, celebrado com festa em 24 de junho. Segundo Frazer, esse é o dia do solstício, quando o Sol chega ao máximo, pára a começa a descer.
Como o evento era temido pelo povo antigo, naquela data as pessoas praticavam diversos rituais que seriam de defesa própria da comunidade, para auxilio em casos de doença, para a melhoria das colheitas, etc. Com estes fins em vista, o povo reunia se no dia do solstício ao redor de fogueiras, girava uma roda e fazia procissões pelos campos, todos segurando tochas acesas.
 
Além dessas fogueiras e neste mesmo dia, os moços juntavam ossos, lixo e outros produtos que, queimados, produziam grossos rolos de fumaça. Essa fumaça tinha uma finalidade toda especial: servia para afugentar os dragões que, copulando no ar, deixavam cair seu sêmen e, assim, envenenavam as águas . . .
O solstício de verão é festejado ainda hoje pelos muçulmanos do norte da África, por diversas tribos árabes e pelos berberes, uma raça da África setentrional. 
 
Eles também acendem fogueiras naquele dia, mas jogam no fogo certas plantas e ervas aromáticas que produzem uma fumaça perfumada. Os participantes aproximam se e se expõem a fogueira tentando dirigir a fumaça para suas casas a plantações. Segundo crêem, ela limpa e cura. Essas pessoas também pulam sobre as fogueiras, um costume conhecido e praticado no interior do Brasil. Além disso, retiram gravetos em chamas, das fogueiras, que são usados para incensar as casas As próprias cinzas são utilizadas para massagens pelo corpo e no couro cabeludo.
Com esses dados, vê se logo que as festas juninas e outras anteriormente citadas pouco têm de cristão. São simpáticas festividades pagãs, de remotíssima origem, algumas celebradas por povos que ainda hoje não seguem os ensinamentos cristãos. 

 

Fonte:

http://origemdapalavra.com.br/site/artigo/os-deuses-antigos-na-nossa-vida/

http://www.imagick.org.br/pagmag/themas2/LadoPagao.html


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OLA!.EU SOU MARCIO DE MEDEIROS-PROF.DO SETEF,SEJA BEM VINDO AO NOSSO BLOG.JESUS TE AMA E MORREU POR VOÇÊ!!!.
TEMOS,1 SITE DESTINADO A CULTURA GERAL , OUTRO SITE DESTINADO À ASSUNTO BÍBLICOS E UM OUTRO SITE DESTINADO À ENTRETENIMENTO,TEMOS:JOGOS,FILMES,DESENHOS ETC.USE OS LINKS ABAIXO PARA VISITAREM OS SITES.TEMOS 3 SITES E 1 BLOG.BOM PROVEITO!.

https://sites.google.com/
http://www.prof-marcio-de-medeiros.webnode.com/
http://profmarcio.ucoz.com