CONTADOR DE VISITAS

contador de acessos

Funk Gospel- Novas 2016-2017

FUNK E NOVO SOM

funk gospel e infantil

MX GOSPEL

HINOS JUDAICOS E ROMANTICAS

FUNK GOSPEL- VARIOS

MUSICAS MESSIANICAS

MELODY E VARIAS

VIDEO DO POKEMON

ESTUDO-INFERNO

Jogos para voce

ORIENTE MÉDIO

TURMINHA DA GRAÇA E MIDINHO

OS TRAPALHOES E A PRINCESA XUXA

Os trapalhoes-vol. 2

PRIMEIRO EPISÓDIO DO CHAPOLIN

PRIMEIRO EPISÓDIO DO CHAVES

DE GRAÇA RECEBESTE, DE GRAÇA DAI!!!!.

DE GRAÇAS RECEBESTES,DE GRAÇA DAI-MT10.8

ESTUDO-Jo 3.16

ESTUDO SOBRE ADORAÇÃO

INFANTIL

HINOS JUDAICOS

FUNK GOSPEL E ROMANTICAS 03

JOGO DE PERGUNTAS BÍBLICAS

CLIQUE PARA RESPONDER AS PERGUNTAS Coloque este widget em seu blog

FUTEBOL COM CARROS

JOGO ATIRE NAS GARRAFAS

JOGO DA BALEIA

JOGO DA BALEIA

Jogo pac man

JOGO BASKET

JOGO blast

JOGO MAGNETO

JOGO DE CORRIDA

Corrida Bíblica–o game

JOGO DA VELHA 02

Mais Jogos no Jogalo.com JOGO DA VELHA 02

JOGO BÍBLICO DE PERGUNTAS

Noticias g1

LEITURA EM INGLÊS

LEITURA EM INGLÊS

LEITURA EM INGLÊS 02

LEITURA EM INGLÊS 02

NOVO SOM E DIVERSOS

funk gospel e musica judaica 02

ROMANTICASM JUDAICA E FUNK GOSPEL

RELÓGIO COM MENSAGEM

ROMANTICAS E FUNK GOSPEL

ROMANTICAS E FUNK GOSP. 02

ROMANTICAS GOSPEL

FUNK GOSPEL 25

FUNK GOSPEL 24

FUNK GOSPEL23

FUNK GOSPEL 22

FUNK GOSPEL 21

funk gospel 20

FUNK 19

/>

funk gospel 18

FUNK GOSPEL 16

FUNK GOSPEL 15

FUNK GOSPEL 14

GOSPEL FUNK 17

Prof. Marcio de Medeiros--ESTUDO SOBRE O INFERNO

NOTICIAS DE CONCURSOS

BEM ESTAR -GNT

FILME-A ÚILTIMA BATALHA

BATE PAPO CRISTÃO

Qual é a sua avaliação sobre este blog?

Formulario de autoresposta


Nome:

E-Mail:

Assunto:

Mensagem:


NOVO SOM-ROMANTICAS

FUTEBOL 03

Placares oferecidos por futebol.com

FUTEBOL 04

Tabela futebol Brasileirão Serie A oferecida por Futebol.com

HOMENAGEM AO PROF. MARCIO DE MEDEIROS,FEITA PELOS SEMINARISTAS DO SETEF

HOMENAGEM AO PROF. MARCIO DE MEDEIROS,FEITA PELOS SEMINARISTAS DO SETEF-SEMINARIO TEOLÓGICO FILADÉLFIA-J. BOM PASTOR-BELFORD ROXO-RJ

CAIXA DE CURTI FANPAGE

CUMPRIMENTO AO VISITANTE

link me

Prof Marcio de Medeiros

Por favor coloque este codigo em seu site ou blog e divulgue o nosso blog

NOTÍCIAS RIO

REDECOL NOTICIAS




NOTICIAS

G1 NOTICIAS

G1 NOTICIAS

MENTE MILIONARIA

MENTE MILIONARIA-COMO SER BEM SUCEDIDO FINANCEIRAMENTE
CLIQUE E ASSISTA!!!!

PROP. DA PAGINA NO FACE04

BUSCA DE EMPREGOS

BATIDAO GOSPEL 10

FUNKS DIVERSOS 11

BATIDÃO GOSPEL12

FUNK GOSPEL 13

Batidao 09

BATIDAO 08

BATIDÃO 07

BATIDÃO GOSPEL 06

BATIDÃO GOSPEL 3

BATIDÃO GOSPEL 4

BATIDÃO GOSPEL 07

BATIDÃO GOSPEL

BATIDÃO GOSPEL 2

BATIDAO GOSPEL 05

PROPAGANDA DA PAG. DO FACE

SITE DE ENTRETENIMENTO

UTILITARIOS EM GERAL

CALENDARIO E JESUS

CALENDÁRIO E PAISAGEM

musicas do c.c e da harpa

PROPAGANDA DA PAG. DO FACE 03

BANNER DO SITE DE ENTRETENIMENTO

SITE DE ENTRETENIMENTO

MENSAGEM PARA VOÇÊ 2

SITE DE ENTRETENIMENTO

SITE DE ASSUNTOS BÍBLICOS

SITE DE CULTURA

DESENHO DA CRIAÇÃO E DE NOÉ

DESENHO SOBRE A CRIAÇÃO
CLIQUE NO VÍDEO PARA ASSISTÍ-LO
DESENHO SOBRE A CRIAÇÃO
CLIQUE NO VÍDEO PARA ASSISTÍ-LO
DESENHO SOBRE A ARCA DE NOÉ-CLIQUE E ASSISTA.

DESENHO SOBRE JOSUÉ

DESENHO SOBRE JOSUÉ-CLIQUE PARA ASSISTIR.

DESENHO SOBRE MOISÉS

DESENHO SOBRE MOISÉS-CLIQUE E ASSISTA.

DESENHO-O NASCIMENTO DE JESUS

O NASCIMENTO DE JESUS-CLIQUE PARA ASSSITIR

FILME-INFERNO EM CHAMAS

FILME O INFERNO EM CHAMAS

PROPAGANDA DA PAG. DO FACE 02

DA LINK SA PAG.DO FACE DO BLOG

AULA DE BIBLIOL.SETEF-07/05/13

AULA DE BIBLIOLOGIA-DATA:07/05/13- MINISTRADA DO SEMINARIO SETEF

Pag do facebook 02

sábado, 4 de abril de 2015

712-A "PASCOA" QUE VOCE AINDA NÃO CONHECE!!!







A Páscoa é uma das datas comemorativas mais importantes do nosso calendário. Atualmente, tornou-se uma data tão comercial, que poucos lembram ou conhecem seu verdadeiro significado.
Para contextualizarmos, neste período, de acordo com a Bíblia, os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó viviam como escravos há mais de quatrocentos anos no Egito. A fim de libertá-los, Deus designou Moisés como líder do povo hebreu (Êxodo 3-4). 

Em obediência ao Senhor, Moisés dirigiu-se a Faraó a fim de transmitir-lhe a ordem divina: “Deixa ir o meu povo”. Para conscientizar o rei da seriedade da mensagem, Moisés, mediante o poder de Deus, invocou pragas como julgamentos contra o Egito. 

No decorrer de várias dessas pragas, Faraó concordava deixar o povo ir, mas, a seguir, voltava atrás, uma vez a praga sustada. Soou a hora da décima e derradeira praga, aquela que não deixaria aos egípcios nenhuma outra alternativa senão a de lançar fora os israelitas: Deus mandou um anjo destruidor através da terra do Egito para eliminar “todo primogênito... desde os homens até aos animais” (Êx.12.12). 

A primeira Páscoa

Como os israelitas também habitavam no Egito, o Senhor emitiu uma ordem específica a seu povo. A obediência a essa ordem traria a proteção divina a cada família dos hebreus, com seus respectivos primogênitos. Cada família tomaria um cordeiro macho, de um ano de idade, sem defeito e o sacrificaria. Famílias menores podiam repartir um único cordeiro entre si (Êx. 12.4). 

Os israelitas deviam aspergir parte do sangue do cordeiro sacrificado nas duas ombreiras e na verga da porta de cada casa. Quando o destruidor passasse por aquela terra, ele não mataria os primogênitos das casas que tivessem o sangue aspergido sobre elas. Daí o termo Páscoa, do hebreu pesah, que significa “pular além da marca”, “passar por cima”, ou “poupar”. 

Assim, pelo sangue do cordeiro morto, os israelitas foram protegidos da condenação à morte executada contra todos os primogênitos egípcios. Deus ordenou o sinal do sangue, não porque Ele não tivesse outra forma de distinguir os israelitas dos egípcios, mas porque queria ensinar ao seu povo a importância da obediência e da redenção pelo sangue, preparando-o para o advento do “Cordeiro de Deus,” Jesus Cristo, que séculos mais tarde tiraria o pecado do mundo (Jo. 1.29). 

De acordo com a Bíblia, no livro de Êxodo, capítulo 12, versículo 31, naquela mesma noite Faraó, permitiu que o povo de Deus partisse, encerrando assim, séculos de escravidão e inaugurando uma viagem que duraria quarenta anos, até Canaã, a terra prometida.

A partir daquele momento da história, os judeus celebrariam a Páscoa toda primavera, obedecendo as instruções divinas de que aquela celebração seria “estatuto perpétuo” (Êx. 12.14). Era, porém, um sacrifício comemorativo, exceto o sacrifício inicial no Egito, que foi um sacrifício eficaz.

Libertação

Assim sendo, lembremos, não somente nesta data, mas em todos os dias, o verdadeiro significado da Páscoa. Assim como o Todo Poderoso libertou os hebreus da escravidão no Egito, Deus quer nos libertar da escravidão do pecado e por isso, enviou seu Filho, Jesus Cristo, para que “todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. (Jo. 3.16) Vida esta conquistada com sangue “porque Cristo, nossa Páscoa, foi sacrificado por nós.” (I Co 5.7) 

Celebremos então a liberdade conquistada por Jesus Cristo na cruz para todos nós!
PÁSCOA PAGÃ !

A deusa Ostara (Ishtar, também se usa a ortografia "Eostre"), a quem a Páscoa [pagã, em inglês "Easter"] faz referência — 21 de março é uma das noites de sacrifício humano dos Illuminati.
A Páscoa pagã é uma data móvel que usa a prática comum da astrologia; é celebrada no primeiro domingo após a primeira lua nova após Ostara. Essa data também não tem absolutamente nada que ver com a Páscoa judaica e nem com a ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo!
Em vez disso, esse dia na tradição pagã celebra o retorno de Semíramis em sua forma reencarnada da deusa da primavera. Os pagãos até mesmo têm um equivalente para a sexta-feira santa! É a "Sexta da Páscoa", e tem historicamente sido alocada na terceira lua cheia a partir do início do ano.
Desde a associação da Páscoa pagã com a ressurreição de Jesus, a sexta-feira santa é fixada permanentemente na sexta-feira anterior à Páscoa. A Páscoa pagã [Easter] está imersa nos mistérios babilônios, o mais maligno sistema idólatra já inventado por Satanás!
Em todas as Escrituras proféticas, vemos Deus declarar seu julgamento final sobre a ímpia Babilônia! Todavia, a cada ano, pastores cristãos celebram a Páscoa como se fosse uma festividade cristã. Muitos pregadores batistas independentes estão começando a se referir a esse dia que celebra a ressurreição de Jesus como "Domingo da Ressurreição", de modo a fazer distinção dessa celebração pagã.
A deusa babilônia Ishtar é aquela a quem a Páscoa [Easter] se refere (Pagan Traditions of Holidays, pág. 9); na realidade, ela era Semíramis, mulher de Ninrode e a verdadeira fundadora dos mistérios satânicos babilônios. Depois da morte de Ninrode, Semíramis criou a lenda de que ele era na realidade seu filho divino, que nasceu quando ela ainda era virgem.
Semíramis é considerada co-fundadora com Ninrode de todas as religiões ocultistas. A Páscoa pagã [Easter, em inglês] — o Dia de Ishtar — é celebrada amplamente em várias culturas e religiões do mundo. 1.Babilônia — Ishtar (Easter), também chamada Deusa da Lua 2.Católicos — Virgem Maria (Rainha dos Céus) 3.Chineses — Shingmoo 4.Druidas — Virgo Paritura 5.Egito — Ísis 6.Efésios pagãos — Diana 7.Etruscos — Nutria 8.Alemães (antigos) — Herta 9.Gregos — Afrodite / Ceres 10.Índia — Isi / Indrani 11.Judeus apóstatas antigos — Astarte (Rainha dos Céus) 12.Krishna — Devaki 13.Roma — Vênus / Fortuna 14.Escandinavos — Disa 15.Sumérios — Nana ("America's Occult Holidays", Doc Marquis and Sam Pollard. pág. 13)
Os babilônios celebravam o dia como o retorno de Ishtar (Easter), a deusa da Primavera. Esse dia celebrava o renascimento, ou reencarnação, da Natureza e da deusa da Natureza. De acordo com a lenda babilônia, um grande ovo caiu dos céus no rio Eufrates e a deusa Ishtar (Easter) eclodiu de dentro dele. Mais tarde, surgiu uma versão que incluía um ninho, em que o ovo pôde ser incubado até eclodir. Um cesto de palha ou vime era produzido para colocar o ovo da Páscoa [o ovo de Ishtar].
A Procura do Ovo de Páscoa Escondido foi criada porque, se alguém encontrasse o ovo enquanto a deusa estava "renascendo", ela concederia uma benção especial ao felizardo! Como essa era uma festividade alegre da primavera, os ovos eram pintados com as brilhantes cores da primavera. [Ibidem]. O Coelho da Páscoa "O totem da deusa, a lua-lebre, punha ovos para as crianças comportadas comerem... a lebre da Páscoa era a forma como os celtas imaginavam a superfície da lua cheia..." (Pagan Traditions of Holidays, pág. 10).
Não precisa me dizer que as lebres não botam ovos, porque sei isso muito bem; estamos lidando com uma lenda aqui, e com uma lenda ocultista. Tradicionalmente, essas lendas brincam com os fatos reais. Assim, "Easter" — Eostre ou Ishtar — era uma deusa da fertilidade. Visto que o coelho é uma criatura que procria rapidamente, simbolizava o ato sexual; o ovo simbolizava "nascimento" e "renovação".
Juntos, o coelho da Páscoa e o ovo de Páscoa simbolizam o ato sexual e o que nasceu deles, Semíramis e Tamuz. Assim, é realmente uma questão espiritual muito séria quando as igrejas cristãs incorporam os "Ovos da Ressurreição" como parte da celebração da Páscoa. Na melhor das hipóteses, essas igrejas estão confundindo as mentes de suas preciosas crianças, obscurecendo a linha divisória entre os símbolos pagãos e seus significados e o significado cristão do Dia da Ressurreição.
As crianças que participam dos "Ovos da Ressurreição" na igreja serão condicionadas mais tarde em suas vidas a aceitarem a tradição pagã que revolve em torno dos mesmos símbolos. No pior caso, a igreja que participa na tradição da Páscoa pagã promovendo os "Ovos da Ressurreição" e talvez uma Procura ao Ovo de Páscoa Escondido, é culpada de combinar o cristianismo com o paganismo, um coquetel letal que o Senhor Jesus rejeitará! Lembre-se de nosso verso-chave: "Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei, e eu serei para vós Pai e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso." [Efésios 6:17-18].
Se sua igreja usa os "Ovos da Ressurreição", você deve considerar desligar-se dela imediatamente; se o pastor titular é liberal o suficiente para permitir os "Ovos da Ressurreição" na celebração do Dia da Ressurreição, então provavelmente também é liberal nas doutrinas e na teologia, mas pode não ser o suficiente para você perceber isso.
Outros Ingredientes Pagãos Oferendas de Páscoa — São derivadas da tradição em que os sacerdotes e sacerdotisas traziam oferendas para os templos pagãos para a deusa da primavera, Ishtar. Eles traziam flores frescas da primavera e doces para colocar no altar do ídolo da deusa que adoravam. Eles também assavam um bolo de passas, decorando-o com cruzes para simbolizar a cruz de Wotan, ou algum outro deus pagão; essas cruzes não eram originalmente a cruz de Jesus Cristo.
Esse é outro caso em que Satanás falsificou uma tradição pagã que poderia mais tarde ser passada como "cristã" em uma igreja seriamente comprometida com a sincretização. De fato, o primeiro caso de Bolo de Frutas Secas pode ser rastreado até cerca de 1500 AC, até Cecrops, o fundador de Atenas (Marquis, pág. 18). Nas celebrações do Velho Testamento no Israel apóstata, vemos mulheres irritando a Deus porque assavam esses bolos para oferecê-los em adoração à Rainha dos Céus [Jeremias 44:17-18 e Oséias 3:1].
A nota de rodapé para esse título "Rainha dos Céus" no Amplified Bible Commentary diz: "Uma deusa da fertilidade, provavelmente o título babilônio para Ishtar. Ela é identificada com o planeta Vênus. As oferendas para essa deusa incluíam bolos feitos na forma de uma estrela". Mais tarde os pagãos usaram não só a forma da estrela Pentalfa como também o bolo de frutas secas.
Outra oferenda popular a Ishtar eram as roupas novas, feitas ou compradas! Os sacerdotes usavam seus melhores trajes, enquanto as virgens vestais usavam vestidos brancos novos. Elas também usavam algo para cobrir as cabeças, como chapéus de palha ou toucas de tecido e muitas se adornavam com grinaldas de flores da primavera.
Elas carregavam cestos de vime cheios de doces e alimentos para oferecerem aos deuses pagãos. Serviços de Páscoa ao nascer do sol — Eram iniciados pelos sacerdotes que serviam à deusa babilônia Ishtar para simbolicamente apressar a reencarnação de Ishtar/Easter. Uma vez mais, vemos como Satanás sabia que a ressurreição de Jesus da sepultura seria descoberta nas primeiras horas do nascer do sol, e que a igreja cristã quereria realizar serviços religiosos cedo de manhã para celebrar.
Satanás e seus demônios sabiam e acreditavam na Palavra de Deus e em suas profecias literalmente, e foi-lhes concedido certo conhecimento prévio. Exatamente como Satanás falsificou o nascimento divino de um menino de uma mãe virgem mais de mil anos antes de Jesus realmente nascer, assim também falsificou o serviço de adoração bem cedo de manhã, ao nascer do sol.
Quaresma — É puramente pagã, e ainda assim foi aceita pela Igreja Católica Romana e pelas igrejas cristãs apóstatas como "cristã". Se a igreja que você freqüenta celebra a Quaresma, você precisa informar ao pastor titular das raízes pagãs dessa tradição; se ele não der ouvidos, considere desligar-se dessa igreja, porque se eles aceitam a Quaresma como cristã, você pode apostar que são liberais em áreas críticas da Bíblia também.
A Quaresma é uma celebração da morte de Tamuz; a lenda diz que ele foi morto por um javali selvagem aos quarenta anos. Portanto, a Quaresma celebra um dia para cada ano de vida de Tamuz (America's Occult Holidays, de Doc Marquis e Sam Pollard). Os participantes deviam expressar seu pesar pela morte precoce de Tamuz pranteando, jejuando e se autoflagelando.
A Quaresma era celebrada por exatamente quarenta dias antes da celebração à deusa Ishtar/Eostre [a Páscoa pagã] e outras deusas pelas seguintes culturas: babilônios, católicos romanos, curdos, mexicanos, Israel antigo e, hoje, também pelas igrejas protestantes liberais e apóstatas.
Podemos ver a ira de Deus sobre essa celebração da Quaresma em Ezequiel 8:14-18; o julgamento de Deus sobre essa comemoração é descrito em Ezequiel 9, um capítulo que sugerimos que você leia atentamente, porque Deus declara que punirá de modo similar qualquer nação que não ouvir e obedecer seus mandamentos [Jeremias 12:17].


1- A PÁSCOA PAGÂ - DEUSA DA PRIMAVERA = EASTER = ESTHER= ISHTAR = ASTARTE = OSTERA = PERSÉFONE = CERES, etc.
Muito antes de ser uma festa cristã, o que se celebrava no momento da Páscoa era o anúncio do FIM DO INVERNO e a CHEGADA DA PRIMAVERA. Para os ANTIGOS, festejar a Primavera (tal como a Páscoa) sempre representou a alegria da passagem de um tempo escuro e triste para um mundo iluminado, de vida nova na Natureza. Era uma espécie e renascer.
Nesta estação do ano, os antigos povos pagãos EUROPEUShomenageavam OSTERA, ou ESTHER (em inglês, Easter quer dizer Páscoa, e em alemão é Oster).

OSTERA era a DEUSA DA PRIMAVERA, que segurava um ovo na mão. A deusa e o ovo eram símbolos da chegada de uma nova vida.

OSTARA equivale, na mitologia GREGA, a PERSÉFONE.
Na mitologia ROMANA, era CERES.
Estes antigos povos comemoravam a chegada da Primavera decorando ovos. Mas o costume de decorá-los para dar de presente na Páscoa surgiu na INGLATERRA, no século X. O rei Eduardo I tinha o hábito de banhar ovos em ouro e oferecê-los aos seus amigos e aliados. Acreditava-se que receber ovos pintados trazia boa sorte, fertilidade, amor e fortuna.
Esta deusa pode aparecer em diferentes formas: Com coelhinhos, ovos, nua, com a serpente no pescoço e, geralmente com a tocha olímpica dos Illuminati na mão. Toda a semelhança com a estátua da liberdade, deusa república e Semíramis NÃO é mera coincidência.
O economista Armindo Abreu, nas diversas fontes citadas na sua obra O PODER SECRETO, editora Kraniom, edição 2005 cita uma ampla gama deNOMES E EXPRESSÕES QUE IDENTIFICA a deusa da religião babilônicaSEMÍRAMIS, a deusa LUA. Entre os vários encontrados ou identificados nesta obra, destacam-se (em ordem alfabética):
Em vermelho os nomes relacionados à deusa PAGÃ DA PRIMAVERA
Afrodite; Anahita; Anat; Angerona; Antu; Artemísia; Ashera (Azera); Asherah; Asherat; Ashtar; Ashtart; Ashtoteth; Asit; Astart; Astarte; Astoreth; Astorga; Attar; Arthena; Attoret; Auset; Baali; Baalat; Baalath; Baalatt-Gebal; Baphomet; Barati; Ceres; Cibele; Deméter; Diana; Estátua da Liberdade; Estrela Brilhante da Manhã; Estrela da Manhã; Eulogia; Eva; Freija; Frigg; Gaia; Grande Mãe Terra; Hamalieil; Hathor; Hecate; Hera; Inanna; Innin; Io; Ishara; Ishtar; Isis; Istar; Juno; Kali; Lilith; Lua; Lucifera; Luna; Mari; Maria; Maria Betânia; Maria Madalena; Madona; Madonna; Matrona; Minha Senhora; Minerva; Mistério da Babilônia; Mulher Escarlate; Mut; Nana; Ninkharsa; Noiva do Homem Verde; Nossa Querida Senhora; Nossa Senhora da Luz; Nut; Ostara (deusa da páscoa com os seus coelhinhos); Rainha do Céu; Rainha do Mar (Iemanjá); Rainha do Mundo;Rainha do Submundo; Rhea; Sachat; Salem; Sara Kali; Sekhemet; Semi-Rama-Isis; Semi-Ramis; Semiramis; Semiramis A VIUVA (os maçons se identificam como filhos da viúva); Shachat; Shalem; A Mãe de Todas as Prostitutas e Abominações da Terra, e sobre sua testa estava escrito um nome: Mistério, A Grande da Babilônia (apocalipse 17); Sophia; Stella Maris; Uarchet; Uatchet; Ua Zit; Umm Attar; Vênus; Virgem Celestial; Virgem do Lago; Virgem Mãe dos Deuses; Virgem Negra; Virgem que Chora; Virgo
PARA MEDITAR: Seriam esses nomes referentes à mesma deusa rainha dos céus revelada ao profeta Jeremias?
Está escrito: Jeremias 44: 17                                                                                                              Mas certamente cumpriremos toda a palavra que saiu da nossa boca, queimando incenso à RAINHA DOS CÉUS, e oferecendo-lhe libações, como nós e nossos pais, nossos reis e nossos príncipes, temos feito, nas cidades de Judá, e nas ruas de Jerusalém; e então tínhamos fartura de pão, e andávamos alegres, e não víamos mal algum.
Está escrito: Jeremias 7: 25, 18 e 19                                                                                 Assim fala o SENHOR dos Exércitos, Deus de Israel, dizendo: Vós e vossas mulheres não somente falastes por vossa boca, senão também o cumpristes por vossas mãos, dizendo: Certamente cumpriremos os nossos votos que fizemos de queimar incenso à RAINHA DOS CÉUS e de lhe oferecer libações; confirmai, pois, os vossos votos, e perfeitamente cumpri-os.Os filhos apanham a lenha, e os pais acendem o fogo, e as mulheres preparam a massa, para fazerem bolos à RAINHA DOS CÉUS, e oferecem libações a outros deuses, para me provocarem à ira. E quando nós queimávamos incenso à rainha dos céus, e lhe oferecíamos libações, acaso lhe fizemos bolos, para a adorar, e oferecemos-lhe libações sem nossos maridos?
Easter”, conforme sabemos, equivale ao festival pagão da deusa ASTARTE, também conhecida como ISHTAR, cuja pronúncia é semelhante a “Easter”. Esse festival sempre acontecia no final do mês de abril. Ele era, em sua forma original, uma celebração da terra se “regenerando”, após a estação do inverno (Gaia; Grande Mãe Terra)     O festival envolvia a celebração da reprodução. Por essa razão os símbolos comuns das atividades de “Easter” (páscoa pagã) eram o COELHO (o mesmo da revista Play Boy) e o OVO, ambos conhecidos por suas habilidades reprodutoras.
No centro da atenção estava ASTARTE, a divindade feminina. Na Bíblia ela é conhecida como “RAINHA DOS CÉUS” (Jeremias 7:18 e 44:17-25). ELA É A MÃE E ESPOSA DE TAMUZ (Ezequiel 8: 14).
Esses RITUAIS PERVERTIDOS aconteciam ao nascer do SOL na páscoa (Easter), conforme Está escrito: Ezequiel 8:14-16.
E levou-me à entrada da porta da casa do SENHOR, que está do lado norte, e eis que estavam ali MULHERES assentadas chorando a TAMUZ (filho da rainha dos céus) E disse-me: Vês isto, filho do homem? Ainda tornarás a ver abominações maiores do que estas. E levou-me para o átrio interior da casa do SENHOR, e eis que estavam à entrada do templo do SENHOR, entre o pórtico e o altar, cerca de vinte e cinco HOMENS, de costas para o templo do SENHOR, e com os rostos para o oriente; e eles, virados para o orienteADORAVAM O SOL.
A partir das referências nos livros de Jeremias e Ezequiel podemos ver que realmente a palavra Easter jamais teve algo a ver com a páscoa de Jesus Cristo.

Muito embora a páscoa dos judeus (Passover) acontecesse no mês de abril (dia 14), e a festa pagã Easter acontecesse mais tarde no mesmo mês, podemos saber que Herodes estava se referindo à “Easter” (páscoa pagã – Atos 12:4) e não à Passover (páscoa judaica).

CELEBRAÇÃO PÁSCOA PAGÃ COM SACRIFÍCIOS HUMANOS
O verso três mostra que Pedro foi PRESO durante os dias dos pães ázimos (de 15 a 21 de abril). A Bíblia diz: “E eram os dias dos ázimos”. A páscoa (14 de abril) já havia chegado e passado. Herodes não poderia estar se referindo à páscoa (Passover) em sua declaração, mas se referindo à páscoa pagã “Easter”. A próxima Páscoa (Passover) ainda estava um ano distante. Mas para o festival pagão faltavam ainda alguns dias.
Lembrem-se! HERODES era um romano pagão que adorava a (rainha dos céus). Ele NÃO era judeu. Desse modo Herodes não teria motivo para celebrar a páscoa dos judeus. Alguém pode argumentar que ele desejava esperar que a Páscoa passasse com medo de transtornar os judeus. Existem duas faltas graves nessa linha de raciocínio:                                                         Primeira: Pedro já não era considerado um judeu. Ele havia repudiado o judaísmo. Então os judeus não teriam razão alguma para ficar transtornados com os atos de Herodes.                           Segunda, ele não poderia estar esperando até que a Páscoa terminasse achando que os judeus não matariam um homem durante a sua festa religiosa. Contudo eles haviam MATADO Jesus durante a páscoa (Mateus 26:17-19 e 47). Também haviam ficado excitados com o DEGOLAMENTO de Tiago a mando de Herodes.Todos sabemos que a população se enche de coragem parapraticar atos violentos durante as festividades religiosas e não depois destas.

     Além disso, tendo em vista a posição de Herodes como cidadão romano, sabemos que era famoso pelas celebrações (Mateus 14:6-11). De fato em Mateus 14 vemos Herodes até querendo matar um homem de Deus durante uma de suas celebrações.

 CURIOSIDADES: HERODES, em Atos 12, havia mandado prender Pedro durante os dias dos pães ázimos, isto é, após a páscoa JUDAICA. Os dias dos pães ázimos terminavam em 21 de abril. Logo em seguida HERODES fazia a celebração da festa da páscoa pagã Easter.
HERODES não havia matado Pedro durante os dias dos pães ázimos simplesmente porque desejava esperar até a páscoa pagã (Easter). Está claro que tanto os JUDEUS (Mateus 26: 17-47), quanto os ROMANOS (Mateus 14: 6-11) MATAVAM PESSOAS durante uma celebração religiosa. A opinião de HERODES parece denotar que ele queria deixar que os judeus “se divertissem à vontade” na festa de pães ázimos. Ele esperaria até a sua festa pagã para que Pedro fosse morto com a excitação da mesma.
O Rei HERODES participava de uma sociedade secreta chamada FORÇA MISTERIOSA, junto com oito JUDEUS SIONISTAS (aqueles que se dizem judeus, mas não o são). Até os dias atuais, algumas sociedades secretas ainda sacrificam seres humanos ao deus SOL (baal).
O maçom Tiradentes foi sacrificado no dia 21 de abril, no final das festas dos pães ázimos. Foi esquartejado por vários dias que se seguiram ao seu enforcamento. Foi semelhante ao sacrifício do deus Osires ou On (deus SOL) e ao sacrifício de Ninrode (também idolatrado como deus SOL). Também foi decapitado como João Batista pelo rei HERODES, que pertencia à sociedade secreta FORÇA MISTERIOSA dos NOVE JUDEUS DESCONECIDOS, que também mataram Jesus Cristo e seus discípulos. Leia o nosso trabalho inédito de tradução do resumo do precioso livro: DISSIPANDO AS TREVAS, A VERDADEIRA ORIGEM DA MAÇONARIA.
Vemos assim que pela providência de Deus os tradutores da nossa Bíblia King James, cheios do Espírito Santo, traduziram CORRETAMENTE a palavra “Pascha” como “Easter” em Atos 12: 4, mas que provavelmente ela não se referia à páscoa dos judeus. De fato mudar a palavra para Passover iria confundir o leitor encobrindo a verdade da situação.

POR ISSO É IMPORTANTE O SERVO DE DEUS USAR BIBLIA ALMEIDA CORRIGIDA FIEL DA SOCIEADADE BIBLICA TRINITARIANA DO BRASIL
2- A PÁSCOA DE DEUS NO ANTIGO TESTAMENTO – A PÁSCOA JUDÁICA (PASSOVER)
Pessach = Pesah = Pesak é uma FESTA JUDAICA em comemoração à fuga dos hebreus da escravidão no Egito. A Páscoa começa no primeiro mês do calendário hebraico, no dia 14 do mês de ABIBE ou NISAN (equivalente a março e abril no calendário gregoriano) Ex 12:6; Lev 23:4-5; Num 9:2-5; Num 28:16. 

     Em hebraico, existe a "Pessah", a chamada "Páscoa Judaica", que começou a celebrar-se há cerca de 3 mil anos, quando os hebreus iniciaram o "êxodo" (a viagem de libertação do seu povo, pela mão de Moisés, depois de serem escravos do Egito durante 400 anos).
Comemoravam assim a passagem da escravidão para a libertação. A comemoração inclui (entre outras coisas) uma refeição, onde se come o Cordeiro Pascal, pão sem fermento (o "matzá"), ervas amargas e muito vinho
A- O que a Bíblia diz a respeito da primeira páscoa e do dia dos pães ázimos.
Está escrito: Êxodo 12: 13-18
13. E aquele sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga de mortandade, quando eu ferir a terra do Egito. E
 este dia vos será por memória e celebrá-lo-eis por festa ao SENHOR; nas vossas gerações os celebrareis por estatuto perpétuo.Sete dias comereis pães ázimos; ao primeiro dia tirareis o fermento das vossas casas; porque qualquer que comer pão levedado, desde o primeiro até ao sétimo dia, aquela alma será cortada de Israel. E ao primeiro dia haverá santa convocação; também ao sétimo dia tereis santa convocação; nenhuma obra se fará neles, senão o que cada alma houver de comer; isso somente aprontareis para vós. Guardai pois a festa dos pães ázimos, porque naquele mesmo dia tirei vossos exércitos da terra do Egito; pelo que guardareis a este dia nas vossas gerações por estatuto perpétuo. No primeiro mês (ABIBE ou NISAN), aos catorze dias do mês, à tarde, comereis pães ázimos até vinte e um do mês à tarde.(14 a 21 de abril)
Aqui em Êxodo 12: 13-18, vemos como a Páscoa (PASSOVER) recebeu o seu nome. O Senhor disse que passaria (PASS) sobre (OVER) todas as casas que tivessem suas portas aspergidas com o sangue do cordeiro.
Depois da Páscoa (Êxodo 12: 13,14), vemos que sete dias devem ser cumpridos, durante os quais os judeus deviam comer os pães ázimos. Estes são os dias dos pães ázimos. No verso 18, vemos que os dias dessa observância iam de catorze a vinte um de abril. Essa observância religiosa está mais claramente expressa em
Está escrito: Números 28: 16-18Porém no mês primeiro, aos catorze dias do mês, é a Páscoa do SENHOR. E aos quinze dias do mesmo mês haverá festa;sete dias se comerão pães ázimos. No primeiro dia haverá santa convocação; nenhum trabalho servil fareis.
No verso 16 vemos que a Páscoa é considerada como acontecendo nodécimo quarto dia do mês. Na manhã seguinte, dia 15, começam os “dias do pães ázimos”.
Está escrito: Deuteronômio 16: 1-8Guarda o mês de Abibe (MARÇO), ecelebra a páscoa ao SENHOR teu Deus; porque no mês de Abibe (MARÇO) o SENHOR teu Deus te tirou do Egito, de noite. Então sacrificarás a páscoa ao SENHOR teu Deus, das ovelhas e das vacas, no lugar que o SENHOR escolher para ali fazer habitar o seu nome. Nela não comerás levedado; sete dias nela comerás pães ázimos, pão de aflição (porquanto apressadamente saíste da terra do Egito), para que te lembres do dia da tua saída da terra do Egito, todos os dias da tua vida. Levedado não aparecerá contigo por sete dias em todos os teus termos; também da carne que matares à tarde, no primeiro dia, nada ficará até a manhã. Não poderás sacrificar a páscoa em nenhuma das tuas portas que te dá o SENHOR teu Deus; Senão no lugar que escolher o SENHOR teu Deus, para fazer habitar o seu nome, ali sacrificarás a páscoa à tarde, ao por do sol, ao tempo determinado da tua saída do Egito. Então a cozerás, e comerás no lugar que escolher o SENHOR teu Deus; depois sairás pela manhã e irás às tuas tendas.Seis dias comerás pães ázimos e no sétimo dia é solenidade ao SENHOR teu Deus; nenhum trabalho farás.
Aqui em Deuteronômio podemos ver novamente que a PÁSCOA é sacrificada na primeira noite (16:1).
B- A PÁSCOA devia ser celebrada na NOITE
Está escrito: Deuteronômio 16: 1 e 6                                                                                         Guarda o mês de Abibe (ANO NOVO JUDAICO = MARÇO), e celebra a páscoa ao SENHOR teu Deus; porque no mês de Abibe (MARÇO) o SENHOR teu Deus te tirou do Egito, de noite. Senão no lugar que escolher o SENHOR teu Deus, para fazer habitar o seu nome, ali sacrificarás a páscoa à tarde, ao por do sol (NOITE) ao tempo determinado da tua saída do Egito.
Está escrito: Êxodo 34: 25Não sacrificarás o sangue do meu sacrifício com pão levedado, nem o sacrifício da festa da páscoa ficará da noite para a manhã.
A PÁSCOA não devia ser celebrada ao NASCER DO SOL, como fizeram os FALSOS PROFETAS DE BAAL.
Está escrito: Ezequiel 8: 13-16                                                                                                         E disse-me: Ainda tornarás a ver maiores abominações, que estes fazem. E levou-me à entrada da porta da casa do SENHOR, que está do lado norte, e eis que estavam ali mulheres assentadas chorando a Tamuz. E disse-me: Vês isto, filho do homem? Ainda tornarás a ver abominações maiores do que estas. E levou-me para o átrio interior da casa do SENHOR, e eis que estavam à entrada do templo do SENHOR, entre o pórtico e o altar, cerca de vinte e cinco homens, de costas para o templo do SENHOR, e com os rostos para o oriente; e eles, virados para o oriente ADORAVAM O SOL (os atuaisMAÇONS).
OBS: Assista ao nosso vídeo de 10 minutos onde estou com o capuz preto da maçonaria, pregando na TV sobre o texto bíblico acima
C- A festa da páscoa era uma das três ordenanças de Deus
Vemos que a festa dos pães ázimos era uma das três festas judaicas que deviam ser observadas durante o ano:
Está escrito: II Crônicas 8: 13
 E isto segundo a ordem de cada dia, fazendo ofertas conforme o mandamento de Moisés, nos sábados e nas luas novas, e nas solenidades, três vezes no ano; na festa dos pães ázimos, e na festa das semanas, e na festa das tendas.

     A PÁSCOA era comemorada no PRIMEIRO ou no SEGUNDO MÊS, mas sempre a PÁSCOA precedia(vinha antes) a FESTA DOS PÃES ÁZIMOS.
Está escrito: Esdras 6: 19 e 22 
19. E os filhos do cativeiro celebraram a páscoa no dia catorze do primeiro mês.
22. E celebraram a
 festa dos pães ázimos por sete dias com alegria; porque o SENHOR os tinha alegrado, e tinha mudado o coração do rei da Assíria a favor deles, para lhes fortalecer as mãos na obra da casa de Deus, o Deus de Israel.
Alguns judeus que eram incapazes de guardar a Páscoa no primeiro mêsrecebiam permissão de guardá-la no segundo. Mas as datas permaneciam as mesmas:
Está escrito: 2 Crônicas 30: 15 e 2115. Então sacrificaram a páscoa no dia décimo quarto do segundo mês; e os sacerdotes e levitas se envergonharam e se santificaram e trouxeram holocaustos à casa do SENHOR.
21. E os filhos de Israel, que se acharam em Jerusalém celebraram a
 festa dos pães ázimos sete dias com grande alegria; e os levitas e os sacerdotes louvaram ao SENHOR, de dia em dia com estrondosos instrumentos ao SENHOR
D- A ordem bíblica dos eventos era a seguinte:
1) No dia 14 de abril o cordeiro era morto. Esta é a PÁSCOA. Esta festa dura um dia. Nenhuma festa depois do dia 14 pode ser referido como páscoa. Deve-se notar ainda que sempre que a páscoa é mencionada no Novo Testamento a referência é sempre feita à refeição a ser tomada na noite do dia 14 de abril e não a semana toda. Deve-se lembrar que o anjo do SENHOR passou sobre o Egito apenas numa noite e não durante sete noites seguidas.
2) Na manhã do dia 15 de abril começavam os dias dos PÃES ÁZIMOS, Esta festa durava sete dias. Esta festa dos PÃES ÁZIMOS jamais se refere à FESTA DA PÁSCOA.
Está escrito: Atos 12:3 e 43. E, vendo que isso agradara aos judeus, continuou, mandando prender também a Pedro. E eram os dias dos ázimos.
4. E, havendo-o prendido, o encerrou na prisão, entregando-o a quatro quaternos de soldados, para que o guardassem, querendo apresentá-lo ao povo depois da páscoa.(Easter)
3- A PÁSCOA DE DEUS NO NOVO TESTAMENTO
A PÁSCOA CRISTÃ – JESUS CRISTO
No estudo sobre o natal (FATO 65) estudamos que Deus nunca pediu para que comemorássemos o aniversário de ninguém, entretanto deixou bem claro que fosse comemorada a páscoa, compreendendo a morte e ressurreição de Jesus Cristo.
Para entender o significado da Páscoa CRISTÃ, é necessário recordar que muitas celebrações antigas foram integradas nos acontecimentos relacionados com Cristo. A festa da Páscoa refere-se à última ceia de Jesus com os Apóstolos, a sua prisão, julgamento e condenação à morte, seguida da sua crucifixão e ressurreição (Jesus voltou a viver e subiu ao céu). A celebração começa no Domingo de Ramos (quando Jesus entra em Jerusalém e é aclamado com ramos de palmeira) e acaba no Domingo de Páscoa (com a Ressurreição de Cristo): é a chamada Semana Santa
A DATA DA PÁSCOA foi fixada pela Igreja católica no ano 325, de modo a "cair" no domingo mais próximo da primeira Lua Cheia do mês lunar que começa com o equinócio da Primavera. Com esta definição, a data da Páscoa varia de ano para ano, sendo, em limite, entre 22 de Março e 25 de Abril, transformando a Páscoa numa festa "móvel". A seqüência exata de datas da Páscoa se repete aproximadamente a cada 5 milhões de anos do nosso calendário. E para os curiosos, ficam aqui as datas da Páscoa até 2010:
·                                             2005 - 27 de Março
·                                             2006 - 16 de Abril
·                                             2007 - 08 de Abril
·                                             2008 - 23 de Março
·                                             2009 - 12 de Abril
·                                             2010 - 04 de Abril
Está escrito: Coríntios 5:7Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós.
Está escrito: I Coríntios 11: 23-26
Porque eu recebi do SENHOR o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim. Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha.

A Diferença entre EASTER e PASSOVER.
A palavra PASCHA significa PASCOA
PASSOVER é a páscoa verdadeira realizada no início do mês de abril. Esta palavra aparece 28 vezes no novo testamento, significando “PASSOVER (do inglês = PASSAR SOBRE)” com referência à noite em que o SENHOR passou sobre o Egito e matou os primogênitos egípcios (Êxodo 12:12), livrando, assim, Israel de 400 anos de escravidão ali.
EASTER é a páscoa pagã, a qual se refere o Rei Herodes. Ela era comemorada logo depois da comemoração da páscoa verdadeira, no final de abril. Esta palavra PASCHA com o sentido de EASTER aparece uma única vez no novo testamento, em Atos 12: 4
Está escrito: Atos 12: 1-5E por aquele mesmo tempo o REI HERODES (fundador da Sociedade Secreta judaica FORÇA MISTERIOSA que matou Jesus e deu origem à atual maçonaria) estendeu as mãos sobre alguns da igreja, PARA OS MALTRATAR; E matou à espada Tiago, irmão de João. E, vendo que ISSO AGRADAVA AOS JUDEUS, continuou, mandando prender também a Pedro. E eram os dias dos ázimos. E, havendo-o prendido, o encerrou na prisão, entregando-o a quatro quaternos de soldados, para que o guardassem, querendo apresentá-lo ao povo depois da PÁSCOA (pagã =easter)Pedro, pois, era guardado na prisão; mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus.

4- CURIOSIDADE SOBRE A BÍBLIA KING JAMES (1611)
Os PAGÃOS defendem o conceito da existência de erros na Bíblia. Eles dizem que foi um erro traduzir a palavra PASCHA como EASTER neste versículode Atos 12: 4
Esta é a exata Palavra de Deus, pois é a única impressa no mundo, atualmente com a palavra correta EASTER para traduzir a palavra PASCHA de Atos 12: 4.Vamos confirmar este fato:
     Para desfazer a confusão referente à palavra “Easter”, em Atos 12 no verso 4, devemos consultar nossa Autoridade Final, a Bíblia. A chave do problema não está no verso 4, porém no verso 3 (então eram os dias dos PÃES ASMOS).
Para obter a resposta desejada devemos encontrar a relação da Páscoa com os dias dos PÃES ASMOS. Lembremo-nos que Pedro foi preso durante os dias dos PÃES ASMOS (Atos 12:3). Nossa investigação deve começar primeiramente com a palavra “Passover” (páscoa do judeus). Foi à noite em que o SENHOR matou todos os primogênitos do Egito. Os israelitas foram instruídos a matar um cordeiro e aspergir com o sangue destes as ombreiras e a verga da porta nas casas em que o comessem.  www.biblias.com.br
5- PARALELO ENTRE A PÁSCOA JUDÍCA E A PÁSCOA CRISTÃ
A- A passagem do Senhor sobre os hebreus
A- A palavra Páscoa vem de passagem (Pâsach). No caso, não se trata da passagem do Egito para a Terra Santa, mas sim a passagem do Senhorsobre os hebreus
Êx 12:12  E eu passarei pela terra do Egito esta noite, e ferirei todo o primogênito na terra do Egito, desde os homens até aos animais; e em todos os deuses do Egito farei juízos. Eu sou o SENHOR.
Êx 12:13  E aquele sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga de mortandade, quando eu ferir a terra do Egito.
A- Passagem do Senhorentre os homens
Fp 2:6  Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus,
Fp 2:7  Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;
Fp 2:8  E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.
Jo 1:9  Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo.
Jo 1:10  Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.
Jo 1:11  Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.
Jo 1:12  Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;
Jo 1:13  Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.
Jo 1:14  E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.
B- Sacrifício efetuado pelos hebreus
B- Devido ao evento, palavra Páscoa (Pesash) também ganhou outro sentido, o do sacrifício efetuado pelos hebreus
Êx 12:11  Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do SENHOR.
Êx 12:21  Chamou pois Moisés a todos os anciãos de Israel, e disse-lhes: Escolhei e tomai-vos cordeiros para vossas famílias, e sacrificai a páscoa.
Êx 12:26  E acontecerá que, quando vossos filhos vos disserem: Que culto é este?
Êx 12:27  Então direis: Este é o sacrifício da páscoa ao SENHOR, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu aos egípcios, e livrou as nossas casas. Então o povo inclinou-se, e adorou.
B- Sacrifício efetuado pelos homens
B- Devido ao evento, palavra Páscoa (Pesash), também ganhou outro sentido, o do sacrifício efetuado pelos homens
1Co 5:7  Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós.
Hb 10:10  Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez.
Hb 10:11  E assim todo o sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar os pecados;
Hb 10:12  Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus,
C- Os hebreus aceitaram a mensagem e foram salvos da ira do Senhor
C - Pelo sacrifício e derramamento de sangue, os hebreus que aceitaram a mensagem, foram salvos da ira do Senhor
Êx 12:3  Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Aos dez deste mês tome cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família.
Êx 12:7  E tomarão do sangue, e pô-lo-ão em ambas as ombreiras, e na verga da porta, nas casas em que o comerem.
Êx 12:12  E eu passarei pela terra do Egito esta noite, e ferirei todo o primogênito na terra do Egito, desde os homens até aos animais; e em todos os deuses do Egito farei juízos. Eu sou o SENHOR.
C- Os homens aceitaram a mensagem de Cristo e foram salvos da ira do Senhor
C- Pelo sacrifício e derramamento de sangue, os homens que aceitaram a mensagem, foram salvos da ira do Senhor
Hb 11:24  Pela fé Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó,
Hb 11:28  Pela fé celebrou a páscoa e a aspersão do sangue, para que o destruidor dos primogênitos lhes não tocasse.
Jo 1:29 No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.
Mt 26:28  Porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados.
Jo 3:36  Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece.
Hb 10:27  Mas certa expectação horrível de juízo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários.
1Ts 1:10  E esperar dos céus a seu Filho, a quem ressuscitou dentre os mortos, a saber, Jesus, que nos livra da ira futura.
Qual o verdadeiro sentido da Páscoa?
A Escritura Sagrada, a Bíblia é a única fonte segura sobre este assunto. A verdadeira Páscoa foi instituída muito antes de Jesus vir ao mundo e foi comemorada para celebrar a libertação dos israelitas da escravidão de Faraó na terra do Egito, mas não somente isto. A Páscoa prefigurava o sacrifício de Cristo em nosso favor.  Portanto, é essencial compreendermos a relação da primeira pascoa com a instituição da Ceia por Cristo, quando Ele mesmo a celebrou antes de ir à cruz como o sacrifício vivo e perfeito por nossos pecados. 

A Páscoa do Senhor

A celebração da Páscoa foi instituída pelo Senhor ao anunciar a décima e última praga sobre o Egito: a morte dos primogênitos. Moisés fora instruído por Deus sobre como realizar a Páscoa: cada família israelita teria que sacrificar um cordeiro e o sangue deste seria usado para molhar os umbrais das portas, pois à meia noite o anjo destruidor passaria ali.
A páscoa judaica: cada casa deveria ser marcada com sangue: a segurança
Páscoa, o que quer quer dizer? O relato bíblico nos ensina que a casa onde não houvesse a marca do sangue o primogênito morreria. Assim está escrito: “E aquele sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga de mortandade, quando eu ferir a terra do Egito.” (Êxodo 12.13) Daí o nome em hebraico “Pessach”, que significa “passagem” ou “passar por cima”. O significado da pascoa é, portanto, livramento da morte, salvação.
O cordeiro -símbolo de Cristo a morrer por nossos pecados
Naquela noite memorável os hebreus comeram o cordeiro acompanhado de pão ázimo (sem fermento) e ervas amargas.  Estas ervas simbolizavam o sofrimento deles sob a jugo de Faraó. Em Êxodo 12.5 lemos assim: “O cordeiro, ou cabrito, será sem mácula, um macho de um ano, o qual tomareis das ovelhas ou das cabras.” (Êxodo 12.5); Em Êxodo 12.7,8 lemos ainda: “E tomarão do sangue, e porão em ambas as ombreiras, e na verga da porta, nas casas em que o comerem. E naquela noite comerão a carne assada no fogo, com pães ázimos; com ervas amargosas a comerão.”

O aspecto mais importante da páscoa

Um dos momentos mais esperados por Cristo: a ceia, após a última pascoa
Como foi dito. todo o cerimonial da Páscoa israelita apontava para Cristo. Antes de seu sacrifício na cruz ele também celebrou a Páscoa com seus discípulos. Em Lucas 22.15 lemos assim: “E, chegada a hora, pôs-se à mesa, e com ele os doze apóstolos. E disse-lhes: Desejei muito comer convosco esta páscoa, antes que padeça.”  Cristo deixou claro que o cordeiro pascal simbolizava ele mesmo. De fato, João Batista já havia proclamado publicamente sobre Jesus: “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.” (João 1.29)
“E, tomando o cálice, e dando graças” (Mc 14.23)
Cristo usou pão e vinho para simbolizar seu sacrifício: Em Lucas 22.19,20 lemos: Então ele “tomando o pão, e havendo dado graças, partiu-o, e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que por vós é dado; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue, que é derramado por vós.”
No Getsêmani – a maior das provações.
Lucas continua o relato: “E, saindo, foi, como costumava, para o Monte das Oliveiras; e também os seus discípulos o seguiram; E quando chegou àquele lugar,disse-lhes: Orai, para que não entreis em tentação. E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e, pondo-se de joelhos, orava, Dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua. E apareceu-lhe um anjo do céu, que o fortalecia. E, posto em agonia, orava mais intensamente. E o seu suor tornou-se em grandes gotas de sangue, que corriam até ao chão.” (Lucas 22.39-44)
“…e como está mudo o cordeiro diante do que o tosquia, Assim não abriu a sua boca.” (Atos 8.32b)
O profeta Isaías falou sobre o sacrifício de Jesus Cristo, como o Cordeiro de Deus: “Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.” (Isaías 53.7); “E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca.
“Ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades.” (Is 53.5)
Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado,verá a sua posteridade, prolongará os seus dias; e o bom prazer do Senhor prosperará na sua mão. Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos;porque as iniqüidades deles levará sobre si.” (Isaias 53.9-11)

O Egito simboliza o mundo

As pragas enviadas por Deus desmoralizaram completamente os ídolos do Egito. A noite da páscoa foi seguida pela saída dos israelitas do Egito o qual simboliza a separação do povo de Deus da corrupção do mundo. No Novo Testamento significa se apartar de um estilo de vida mundano. Cristo orou pelos discípulos: “Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal.” (João 17.15)

Uma páscoa mundana

Uma pascoa destituída da verdade
O mundo por não conhecer o verdadeiro  significado da páscoa celebra uma páscoa completamente diferente se comparada à verdade da Bíblia, portanto seus elementos pagãos, não possuem relação nenhuma com o verdadeiro ensino das Escrituras. Temos uma advertência na Bíblia isto: “Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo.” (Colossenses 2.8)
Israel sob o jugo do Egito.

Faraó representa o diabo

Pode até parecer estranho, mas o príncipe do Egito agia sem compaixão para com os israelitas. Quem agora está em Cristo, e veio de um estilo de vida mundano  lembra muito da época da escravidão no pecado.  Em Efésios 2.2 lemos assim: “Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência.” Em Colossenses 1.13.14 lemos também: “O qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor; Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados.”

O fermento – símbolo do pecado

Em 1 Coríntios 5.7,8 lemos: “Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós. Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade.”  A morte dos primogênitos no Egito simboliza  aqueles que ainda não tiveram a purificação de seus pecados no sangue de Cristo e por isso estão debaixo da ira de Deus. Para os justificados a promessa é esta: “Logo muito mais agora, tendo sido justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira.” (Romanos 5.9)

Páscoa – a libertação do pecado

Cristo realizou a última pascoa de fato e a substituiu pela Ceia do Senhor. Por este memorial se comemora a libertação do poder do pecado e da morte espiritual. Cristo se expressou assim: “Se o Filho vos libertar verdadeiramente sereis livres.” (João 8.36) Em Hebreus 2.14 lemos: “E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte,isto é, o diabo.”  Logo após a primeira páscoa celebrada por Moisés o povo seguiu rumo  a Canaã. Igualmente  a Ceia do Senhor também proclama a volta de Cristo para levar para si os que entraram em aliança com ele através de seu sacrifício. Em 1 Coríntios 11.26 está escrito: “Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice anunciais a morte do Senhor, até que venha.”

Páscoa – prontidão para partir

No Egito o povo sabia que partiriam a qualquer momento. A páscoa foi comida às pressas significando prontidão para partir. Quem está em Cristo também deve estar vigilante e preparado para partir a qualquer momento. Cristo não marcou a hora de sua volta. Assim está escrito: “Vigiai, pois, porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã.” (Marcos 13.35) A volta de Cristo é a maior esperança de quem foi liberto do poder do pecado. Ele voltará e nos condizirá à Canaã celestial. Em Filipenses 3.20 lemos: “Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo.” Então o significado da pascoa só tem sentido para quem realmente atenta para o que Deus comunicou-nos através de sua Palavra.  Estamos preparados para a vinda do Senhor a qualquer momento? Já estamos libertos do poder do pecado? Por que esta pergunta? O alto preço pago por Cristo pela nossa salvação não faz diferença nenhuma se continuamos vivendo mortos em pecados.  Vivendo assim não estamos livres da condenação. Em Gálatas 5.1 lemos: “Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão.” Caso ainda não tenha recebido a Cristo como salvador, apresse-se. A Escritura diz “ouvi-te em tempo aceitável e socorri-te no dia da salvação; eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação.” “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.” (1 João 1.9) Em fim a páscoa só tem um sentido real se compreendermos o que ela significava no passado e como tudo se cumpriu no sacrifício perfeito de Cristo. A Deus seja a glória.
O que é Ovo da Páscoa:
Ovo da Páscoa é um ovo feito de chocolate normalmente recheado com surpresas. É um símbolo de nascimento e vida e está relacionado com a Páscoa comemorada  pelos cristãos, pela representação da Ressurreição de Jesus Cristo, com a esperança de uma nova vida.
Presentear as pessoas com ovos é um costume antigo, comum entre os povos que habitavam a região do Mediterrâneo, do Leste Europeu e do Oriente. Durante as festividades realizadas com a chegada da Primavera, depois do Inverno, os ovos eram cozidos e pintados com desenhos lembrando as plantações que tinham início nesse período. A esperança de fertilidade do solo e de abundantes colheitas, eram representadas com a troca de ovos coloridos.
A arte de pintar ovos e presenteá-los entrou também nas festividades cristãs, onde se desenhava imagens de Jesus e de Maria, passando a representar o nascimento e a vida, simbolizando a Páscoa, com a Ressurreição de Jesus Cristo. Muitas culturas mantêm essa tradição até os dias de hoje.
Com o passar do tempo, o ovo de chocolate entrou para as tradições do período das festas da Semana Santa, e dar de presente um ovo de páscoa de chocolate, no domingo da Ressurreição virou costume da época.
Alguns autores acreditam que a tradição do ovo de chocolate surgiu depois do século XVIII, sendo uma invenção de confeiteiros franceses. Outra teoria afirma que os ovos de Páscoa ficaram mais populares com a revolução da indústria do chocolate, que aconteceu na Inglaterra, no século XIX.
Atualmente, muitas pessoas têm o costume de colorir ovos da páscoa e oferecê-los a pessoas importantes. Alguns historiadores afirmam que o hábito de oferecer ovos de galinha pintados surgiu no Antigo Egito, na Pérsia e em algumas tribos germânicas.
Em muitos países existe a tradição de esconder ovos de Páscoa para as crianças procurarem, um jogo muito popular para muitas crianças.

Fonte:
http://cpad.com.br/institucional/integra.php?s=5&i=90
BLOG SINCEROS DO DR.RENATO
http://www.significados.com.br/ovo-da-pascoa/

http://salvandoalmas-na.comunidades.net/index.php?pagina=1082776116







Nenhum comentário:

Postar um comentário

OLA!.EU SOU MARCIO DE MEDEIROS-PROF.DO SETEF,SEJA BEM VINDO AO NOSSO BLOG.JESUS TE AMA E MORREU POR VOÇÊ!!!.
TEMOS,1 SITE DESTINADO A CULTURA GERAL , OUTRO SITE DESTINADO À ASSUNTO BÍBLICOS E UM OUTRO SITE DESTINADO À ENTRETENIMENTO,TEMOS:JOGOS,FILMES,DESENHOS ETC.USE OS LINKS ABAIXO PARA VISITAREM OS SITES.TEMOS 3 SITES E 1 BLOG.BOM PROVEITO!.

https://sites.google.com/
http://www.prof-marcio-de-medeiros.webnode.com/
http://profmarcio.ucoz.com